Marcel como vice-presidente do COB seria uma ótima notícia



Ídolo do basquete nacional, Marcel de Souza é candidato à vice-presidência do COB (Crédito: Databasket)

O COB (Comitê Olímpico do Brasil) irá escolher em março o vice-presidente, cargo vago desde que Paulo Wanderley assumiu a presidência, com a renúncia de Carlos Nuzman. E diante do cenário que apresenta a possibilidade de um integrante da velha cartolagem olímpica do Brasil ser escolhido, eis que surge uma ótima alternativa. Em seu site, o Databasket, o ex-jogador Marcel Souza anunciou que é candidato à vice-presidência da entidade.

“É uma responsabilidade grande representar os atletas e ex-atletas neste momento de reformulação do Comitê Olímpico e do esporte nacional. Mas, creio que este seja o momento para isso e tenho a certeza que posso dar a minha contribuição, pois me prepararei para exercer bem esta função”, disse Marcel, em texto publicado no site.

Um dos integrantes da última grande geração que o basquete brasileiro produziu, Marcel de Souza, de 61 anos, é médico radiologista e integra também o Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem. Recentemente, graduou-se no curso de gestão esportiva da Faculdade Getúlio Vargas.

O currículo esportivo de Marcel dispensa apresentações. Mas sempre é bom recordar que ele foi recordista de partidas pela Seleção Brasileira, além de ter sido medalha de bronze no Mundial de 1978 e campeão pan-americano em Indianápolis-1987, fazendo uma parceria inesquecível com o grande Oscar Schmidt.

Não dá para saber se Marcel terá seu nome aprovado na eleição. Sabe-se que a intenção de Paulo Wanderley era a de aproveitar um nome “interno”, ou seja, algum presidente de confederação. Convenhamos, com a maioria absoluta das opções que existem no esporte olímpico atualmente, não há dúvida que Marcel é o melhor nome disponível. Ainda mais nesta onda de reformulação e reconstrução de imagem que o COB está vivendo.

VEJA TAMBÉM:

‘Velha guarda’ da cartolagem busca vaga em novo conselho do COB
Recuo de cartolas a favor de mais atletas no COB foi por medo e não convicção
Pressão por mudanças no COB chega até do ministério do Esporte
A Queda da Bastilha do esporte brasileiro



MaisRecentes

Prêmio Sou do Esporte 2018 terá homenagem a Maria Esther Bueno



Continue Lendo