Mão Santa e boca nervosa




“Falta colhão. O único acostumado a meter bola no fim é o Marcelinho, mas botaram ele para jogar a conta-gotas”

Oscar Schmidt, maior cestinha do basquete brasileiro em todos os tempos (e talvez do planeta), em entrevista ao UOL, comentando a ausência de um jogador que decida as partidas na seleção brasileira masculina, 9ª colocada no Mundial da Turquia



MaisRecentes

Sonho de Budapeste para os Jogos de 2024 pode terminar nesta quarta-feira



Continue Lendo

Falta patrocínio no esporte brasileiro? O rúgbi não tem do que reclamar



Continue Lendo

Oscar Schmidt no All-Star da NBA alivia a depressão do basquete brasileiro



Continue Lendo