Onda de limpeza no esporte chega ao boxe



O taiuanês Ching-Kuo Wu, que comandou o boxe amador mundial durante 11 anos e entregou cargo nesta segunda-feira (Crédito: Aiba)

O boxe olímpico mundial tomou nesta segunda-feira (20) uma importante decisão rumo à modernização e moralização da modalidade. O taiuanês Ching-Kuo Wu, que nos últimos 11 anos comandou a Aiba (Associação Internacional de Boxe Amador) anunciou sua renúncia. Na prática, o ato põe fim a uma era marcada pela suspeita de atos de corrupção e má gestão na entidade.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga 

Wu já estava afastado do cargo desde o mês de outubro, sucumbindo após uma gestão desastrosa, que acumula dívidas que chegam a quase R$ 50 milhões. Ele teria inclusive escondido um relatório que detalhava a má gestão financeira da entidade. O dirigente de Taiwan também é acusado de usar seu poder para remover os integrantes do comitê executivo da Aiba, que se mostravam contrários à sua gestão.

“Abro mão do meu cargo no melhor interesse da Aiba e do boxe, mas continuo empenhado em garantir uma passagem harmoniosa para a nova liderança. Tomei essa decisão pelo esporte que amo e pelo qual dediquei minha vida”, declarou Wu. Por enquanto, a Aiba seguirá sendo presidida interinamente pelo italiano Franci Falcinelli. Em janeiro, a Aiba deverá organizar um congresso extraordinário para definir as novas normas de gestão e quem será o novo presidente.

Ching-Kuo Wu, de 71 anos, é membro do COI (Comitê Olímpico Internacional) e foi integrante da comissão de avaliação da Rio-2016. Ele foi também um dos candidatos à presidência do COI em 2013, no pleito que elegeu o alemão Thomas Bach.

VEJA TAMBÉM:

COI precisa ir a fundo nas denúncias de corrupção sobre a Rio-2016 
Já passou da hora de limpar o jogo no esporte brasileiro 
Rio-2016 tenta quitar dívidas com aparelhos de ar-condicionado 
Pressão por mudanças no COB chega até do ministério do Esporte



MaisRecentes

Hora da parada técnica



Continue Lendo

Vem aí um novo ídolo do esporte brasileiro: Hugo Calderano



Continue Lendo

Dez mulheres olímpicas que deixam o Brasil orgulhoso



Continue Lendo