Legado olímpico de Deodoro entra em ação



pista de canoagem slalom em Deodoro

A pista de canoagem slalom do Parque Radical de Deodoro receberá as competições do Sul-Americano e Pan-Americano (Crédito: Rio Media Center)

Menos de dois meses depois do encerramento dos Jogos Rio-2016, uma das suas instalações mais badaladas poderá mostrar a eficiência (ou não) daquelas duas palavras mágicas, legado olímpico. O Complexo Esportivo de Deodoro receberá a partir desta sexta-feira, no Parque Radical, a disputa do Campeonato Pan-Americano e Sul-Americano de canoagem slalom. Os dois eventos serão realizados até o próximo domingo (16), quando inclusive haverá transmissão ao vivo pelo Sportv, a partir das 10h.

Este será o primeiro evento esportivo disputado nas corredeiras artificiais de Deodoro após a Olimpíada do Rio. O complexo esportivo recebeu investimentos de R$ 846 milhões (via Governo Federal) em todas as suas arenas para receber as competições olímpicas e paralímpicas nos meses de agosto e setembro.

VEJA TAMBÉM:

>>> Crise na CBDA é o mais novo “legado olímpico” brasileiro
>>> Ressaca olímpica começou mais cedo do que se imaginava
>>> Um fenômeno chamado Isaquias Queiroz

As duas competições (Pan-Americano e Sul-Americano) reunirão mais de 50 atletas de sete países (Argentina, Chile, Costa Rica, México, Paraguai e Venezuela, além do Brasil) nas categorias Senior e Junior. Eles participarão das provas nas categorias K1, C1 e C2 masculino, além do K1 e C1 feminino.

“Não é apenas para o Brasil que o legado olímpico da Rio 2016 irá favorecer a continuidade do desenvolvimento esportivo, e sim todos os países do continente que agora encontram no Brasil um dos canais artificiais de canoagem slalom mais modernos do planeta”, afirmou João Tomasini Schwertner, presidente da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa).

Dois brasileiros aparecem como candidatos a destaque da competição. Entre os homens, Pedro Henrique Gonçalves, o Pepe, que terminou em um excelente 6º lugar na Olimpíada no K1, melhor resultado do Brasil na canoagem slalom olímpica. No feminino, Ana Sátila Vargas está inscrita para as provas do C1 e K1, disposta a superar a péssima imagem deixada na Rio-2016, quando mesmo cotada para chegar à final, nem conseguiu passar à semifinal do C1, após passar direto em uma baliza.

Nas duas últimas edições dos dois campeonatos, o Brasil conquistou 35 medalhas: dez de ouro nos Pan-Americanos de 2013 e 2014; e 25 medalhas nos Sul-Americanos de 2013 e 2014, sendo 17 medalhas de ouro, sete medalhas de prata e uma de bronze.



MaisRecentes

Entenda como foi a bizarra mudança no nome da Federação Mundial de taekwondo



Continue Lendo

No Dia Olímpico, comemore acompanhando muito esporte



Continue Lendo