A jovem princesa dourada do Pan de Toronto 2015



[getty src=”481310584?et=i_dlPovgRFd32QiDj5ybsg&viewMoreLink=on&sig=RgfezRSwp1dOVWUG1FLsS0_ZmGWHbDBy_v6nuC1ADDI=” width=”594″ height=”399″]

A jovem americana Laura Zeng, estrela da ginástica rítmica no Pan de Toronto. Crédito: Getty Images

Somente três atletas fazem parte da lista dos maiores ganhadores de medalhas dos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015, todos com cinco conquistas. Um deles, o brasileiro Thiago Pereira, o “Mr. Pan”, que tornou-se no último sábado o maior ganhador de medalhas na história do Pan. Depois, aparece a canadense Ellie Black, da ginástica artística, uma das revelações da modalidade, graças à sua versatilidade em vários aparelhos.

Mas o terceiro nome da lista, que ainda está em plena adolescência, acabou roubando a cena nos últimos dias em Toronto. A americana Lauta Zeng, de somente 15 anos, encantou a torcida na competição de ginástica rítmica. Ao contrário de Thiago Pereira e Ellie Black, teve todas as suas cinco medalhas na cor dourada: individual geral e também as provas da bola, arco, maças e fita.

>>> E mais: O baiano que encantou a torcida canadense em Toronto

Laura Zeng começou a fazer ginástica rítmica quando tinha apenas sete anos, ao trocar as aulas de dança chinesa pela modalidade onde se consagrou no Canadá. A pequena Zeng, de 1,57m, admite que a medalha que lhe deu mais prazer de ganhar neste Pan foi a do individual geral. “Estava muito nervosa no primeiro dia de competições e após minhas rotinas com as maças e a fita no segundo dia, vi que teria condições de fazer um bom torneio”, afirmou a americana, que tem um objetivo escolhido para o futuro.

“Tenho um grande sonho em poder competir nos Jogos do Rio 2016 e espero chegar até lá no ano que vem”.

Depois do que foi visto em Toronto, tem muito mais gente que tem o mesmo desejo de Laura Zeng.

 



MaisRecentes

Voto popular no Laureus escolherá o Momento Esportivo de 2016



Continue Lendo

Los Angeles 2024 promete cerimônias em dois estádios. Veja o vídeo



Continue Lendo

Correria japonesa? Brasil já pensa nas oitavas do Mundial de handebol



Continue Lendo