Laís Nunes busca o bronze no Mundial de wrestling de Budapeste



A goiana Laís Nunes pode conquistar nesta quinta-feira (25) a segunda medalha da história do wrestling do Brasil em Mundiais. Terceira do mundo na categoria 62 kg, Laís disputa a repescagem do Campeonato Mundial de Budapeste. Ela aguarda a vencedora do combate entre Elmira Gambarova (AZE) e Lingling Bao (CHN). Os combates começarão a partir das 5h30 (horário de Brasília).

Se superar a primeira luta, a brasileira finalmente lutará pelo bronze, diante da americana Mallory Maxine Velte.

A goiana Laís Nunes busca a segunda medalha do Brasil na história dos Mundiais de wrestling (Crédito: Katia Almeida/Divulgação)

A única medalha do Brasil na história dos Mundiais de wrestling foi conquistada por Aline Silva (75 kg), em 2014, em Tashkent (UZB).

Laís Nunes se qualificou para a repescagem com a classificação da búlgara Taybe Yusein para a disputa do ouro. Yusein superou a brasileira nas quartas de final por 7 a 1 no placar final.

A outra brasileira que competiu nesta quarta-feira não teve a mesma sorte. Giulia Penalber, na categoria 57 kg, começou sua participação vencendo Emma Tissina (KAZ) por 5 a 2. Nas oitavas de final, encarou a norueguesa Grace Bullen (nascida na Eritreia) e acabou superada por 11 a 7.

Como Bullen perdeu a semifinal, a brasileira perdeu a chance de voltar para a repescagem.

Masculino estreia

Além de Laís Nunes, o Brasil terá mais dois representantes em ação nesta quinta-feira pelo Mundial de Budapeste.

Sargis Khachatryan, na categoria 55kg, e Joilson Júnior, nos 72kg, ambos na modalidade greco-romana, estreiam a partir das 5h30.

O armênio naturalizado brasileiro Khachatryan encara nas oitavas de final Abdelkarim Fergat, da Argélia, enquanto que Joilson vai encarar na primeira rodada Jarvissadam Tarkong, do Palau.

VEJA TAMBÉM:

Começa Mundial de wrestling e Brasil sonha repetir feito histórico 
Confederações do basquete e de wrestling irão se mudar para o Parque Olímpico 
O calendário 2018 do esporte olímpico



MaisRecentes

Melhor do Brasil em 2018, revelação aposta em sucesso do golfe para Tóquio-2020



Continue Lendo

O ‘não’ de Calgary para Olimpíada de 2026 é mais um tapa na cara do COI



Continue Lendo

Os segredos de Jésus Morlán para reinventar a canoagem do Brasil



Continue Lendo