Exclusão do Julio Delamare do Rio 2016 é uma vergonha



O Parque Aquático Julio Delamare está definitivamente fora do Rio 2016

O Parque Aquático Julio Delamare está definitivamente fora do Rio 2016. Crédito: EBC

A confirmação, ocorrida na última quarta-feira (20), de que o Parque Aquático Julio Delamare foi excluído definitivamente da lista de instalações para ser sede das Olimpíadas do Rio 2016, é um daqueles episódios que dá combustível aos críticos do mega-evento e exibe perigosos traços de desorganização em um período no qual atrasos e confusões não podem ser mais aceitos.

É preciso lembrar que foi por extrema pressão popular, aliada a uma ação na Justiça, que impediu a demolição do Julio Delamare, tradicional polo da natação do Rio de Janeiro e que foi palco de inúmeras competições ao longo de anos. Localizado no Complexo do Maracanã, ele teria o mesmo destino do Estádio Célio de Barros, do atletismo, que não teve a mesma sorte e foi praticamente destruído para virar um estacionamento ao lado do palco da final da Copa do Mundo do ano passado. Inclusive, estava previsto no projeto original que no espaço dos dois equipamentos, utilizados também pela população para a prática de esportes, a construção de um espaço para um shopping.

Após a suspensão da demolição, o então governador Sérgio Cabral prometeu que iria reformar o Julio Delamare. Com esta promessa, o local foi incluído nas Olimpíadas, para receber as competições de polo aquático. Porém, nem o governo do Rio, muito menos a Concessionária Maracanã, que administra o complexo, concordaram em arcar com os custos das obras – algo entre R$ 60 e 70 milhões. “Não faz sentido um investimento tão alto ou do Estado ou da concessionária para apenas o inicio do pólo”, afirmou  Leonardo Espindola, secretário da Casa Civil do RJ, ao portal Terra.

Agora, a dúvida é saber onde serão realizadas as partidas iniciais do torneio de polo aquático, que podem ocorrer tanto no Maria Lenk, localizado no Parque Olímpico da Barra, quanto no Complexo de Deodoro, na piscina onde ocorrerá a prova de natação do pentatlo moderno. Vale lembrar que a primeira fase de solicitação de ingressos para os Jogos de 2016 já previa competições no Julio Delamare.

Outro problema, levantado no blog de Alex Pussieldi, comentarista de natação do Sportv, é a necessidade de se construir uma piscina de aquecimento para as equipes em Deodoro, o que não estava previsto no projeto inicial. A própria programação do torneio também exigirá bastante das duas arenas alternativas, pois no total são 20 seleções (12 masculinas e oito femininas), estendendo a programação até a noite.

A pouco mais de um ano para a abertura dos Jogos Olímpicos, não dá para acreditar que uma indecisão política do governo do RIo traga mais incertezas nesta reta de chegada da preparação do evento. Uma vergonha.

 



MaisRecentes

Fora da Odepa, Nuzman precisa se preocupar com o esporte do Brasil



Continue Lendo

Em disputa acirrada, Nuzman tenta presidência da Odepa nesta quarta



Continue Lendo

Em semana decisiva na Odepa, Nuzman ganha cargo em Tóquio-2020, diz site



Continue Lendo