Jordi Ribera volta a ser carrasco do handebol do Brasil



A derrota desta segunda-feira (21) para a Espanha, por 36 a 24, pelo Mundial masculino de handebol, em Colônia (ALE), teve um sabor amargo e também irônico para a seleção brasileira. E o grande responsável por isso é o técnico espanhol Jordi Ribera.

 

Haniel Langaro tenta escapar da marcação da Espanha, que bateu a seleção brasileira no Mundial de handebol (Crédito: AFP)

Principal responsável pela evolução do handebol masculino do Brasil, Ribera comandou a equipe na ótima campanha na Olimpíada Rio-2016, quando chegou às quartas de final. A falta de dinheiro em caixa na CBHb (Confederação Brasileira de Handebol) impediu que ele pudesse seguir seu trabalho. Uma pena.

A ironia citada no primeiro parágrafo deste texto é que foi justamente Jordi Ribera quem evitou que a seleção masculina pudesse chegar a resultados ainda mais significativos.

Como treinador da Espanha, Ribera viu sua equipe impedir que o Brasil avançasse para as quartas de final no Mundial de 2017. Em uma vitória por apenas um gol de vantagem.

Agora em 2019, Ribera novamente foi o obstáculo que a seleção não conseguiu superar, no Mundial da Alemanha e Dinamarca. Por conhecer a fundo os jogadores brasileiros, soube armar sua equipe de uma forma que impedisse o Brasil de repetir o mesmo desempenho apresentado nas quatro vitórias anteriores, três delas contra equipes da Europa.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga

Não que o Brasil fosse o favorito na partida desta segunda-feira, muito pelo contrário. A Espanha jogou com autoridade, segurou a vantagem no placar de forma segura e sepultou as chances da seleção em chegar à semifinal.

Mas é fato que Jordi Ribera soube segurar a seleção brasileira. O criatura mais uma vez não soube superar o seu criador.

A derrota também praticamente o futuro do Brasil no Mundial.

Nesta quarta-feira (23), enfrentará a Islândia, encerrando sua participação na segunda fase. Se vencer o confronto e dependendo de uma combinação de resultados, poderá brigar pelo sétimo lugar. O mais provável é que a equipe termine entre o nono e o 12º lugar.

De qualquer maneira, a campanha do Brasil fará com que a equipe suba de patamar no handebol mundial.

VEJA TAMBÉM:

Brasil ganha de outro gigante no Mundial de handebol 
O significado que a classificação no Mundial terá para o handebol do Brasil 
Sem TV, YouTube salva fãs de handebol para acompanhar Mundial masculino



MaisRecentes

Todos os campeões da história do Mundial masculino de basquete



Continue Lendo

Brasil no Mundial de basquete merece elogios e profundas reflexões



Continue Lendo