Rejeitada pela Iaaf, Isinbayeva saberá no dia 21 se estará na Rio-2016



Isinbayeva

Post da russa Elena Isinbayeva novamente criticando a Iaaf por proibí-la de disputar a Rio-2016

Sem poder contar, pelos mais diversos motivos, com as participações de astros como LeBron James, Stephen Curry, Maria Sharapova, Cesar Cielo e Cristiano Ronaldo, os Jogos Olímpicos Rio-2016 ainda correm um sério risco de não poder contar com a recordista mundial do salto com vara, a russa Elena Isinbayeva. E a confirmação ou não de sua participação só acontecerá no próximo dia 21, quando sairá a posição final da CAS (Corte Arbitral do Esporte) sobre a apelação que ela e outros atletas da Rússia fizeram contra a decisão da Iaaf (Associação Internacional das Federações de Atletismo) em banir o país da Olimpíada por conta do escândalo do doping denunciado em 2015.

Neste domingo, Isinbayeva somou mais uma derrota em sua batalha para poder competir no Rio de Janeiro, após a Iaaf divulgar um comunicado no qual anunciou que de 137 pedidos de revisão contra a proibição, acatou somente o da saltadora em distância Darya Klishina, que foi liberada para competir, porém como atleta independente, sem a bandeira russa.

>>> E mais: Após rejeição de Isinbayeva, COI libera bandeira russa para atletas limpos

Por causa do maior escândalo de doping em série já visto no esporte mundial, que contou com o envolvimento de dirigentes da federação de atletismo russa e da própria agência antidoping do país, a Iaaf decidiu banir a Rússia da Rio-2016 no último dia 17 de junhoA entidade tinha aberto a possibilidade de permitir a presença de atletas russos nos Jogos, desde que fossem como representantes independentes e comprovassem que estejam treinando fora da Rússia e passando por controles de doping em laboratórios aprovados pela Wada (Agência Mundial Antidoping).

>>> Leia ainda: Atletismo na Rio-2016 não ficará menor sem a Rússia

Além de Klishina, outra russa autorizada a competir na Rio-2016 é Yuliya Stepanova, atleta dos 800 m e que foi a autora das denúncias que desbancaram o escândalo do doping russo. Ela mora e treina na Alemanha há mais de um ano. Já Isinbayeva não se enquadrava nestas condições e levou um belo não da Iaaf.

>>> O blog também está no Facebook. Entre e curta a página

Indignada com a decisão, a recordista mundial desabafou em sua página pessoal no Instagram e não pegou leve contra a entidade que comanda o atletismo mundial:

“Meus amigos, quero fazer um enorme pedido: não prestem atenção ao que diz e escreve a IAAF . A declaração de hoje é nada! Nós, os atletas russos, esperamos uma decisão favorável do Tribunal Arbitral do Esporte. E a sua decisão será definitiva saber se iremos ou não aos Jogos Olímpicos. Calma e sem pânico. Com fé no melhor !!!”



MaisRecentes

Governo rebatiza programa ‘Atleta Pódio”, de olho em Tóquio-2020



Continue Lendo

Tragédia das enchentes no Peru deixa Pan de Lima-2019 na berlinda



Continue Lendo