Hora da parada técnica



Anéis olímpicos no céu de PyeongChang, sede da última Olimpíada de Inverno (Crédito: COI)

É assim no basquete, vôlei, handebol e em outros esportes coletivos. Em algum momento, há a necessidade de se fazer uma parada técnica, para que os atletas recuperem as energias e o treinador consiga arrumar algum detalhe que não esteja funcionando perfeitamente. Isto feito, o jogo prossegue sem problemas.

Assim acontece no esporte. E assim acontecerá também com este blog.

Este post é uma espécie de “desculpas antecipadas” às leitoras e leitores pela falta de atualização nos próximos meses. Possivelmente até a metade do ano.

Uma parada por motivos profissionais. Começarei nesta semana um período de colaboração na “Folha de S. Paulo” e não poderei seguir com as postagens habituais.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga 

Mas o espaço não será desativado. Agradeço ao amigo Daniel Bortoletto, responsável pelo convite e por trazer o meu blog para o LANCE!, por permitir mantê-lo num chamado “modo de espera”. Assim que for possível, ele voltará a ser atualizado normalmente.

Desde que iniciei o Laguna Olímpico, em maio de 2015 (primeiro em voo solo e depois já incorporado ao LANCE!, em dezembro de 2015), este blog sempre foi muito mais motivo de prazer do que trabalho. Poder cultivar um espaço para poder falar, reportar, elogiar e criticar o esporte olímpico, não tem preço.

Foi por ele que pude contar um pouco da experiência maravilhosa que foi acompanhar de perto uma Olimpíada em meu próprio país. Aqui eu pude fazer posts críticos cobrando a apuração de denúncias de mau uso de dinheiro público na preparação de equipes brasileiras e da própria organização da Rio-2016. O fim da era Carlos Nuzman no comando do esporte olímpico brasileiro e o surgimento de futuros ídolos, como o mesa-tenista Hugo Calderano, o triplista Almir Junior ou a patinadora Isadora Williams, também foram registrados no blog.

Com a certeza de que será apenas um “até breve”, lembro que seguirei eventualmente comentando e dando meus pitacos sobre o esporte olímpico nas redes sociais, cujos links se encontram mais acima.

Nos vemos por aí.

VEJA TAMBÉM:

Vem aí um novo ídolo do esporte brasileiro: Hugo Calderano 
Almir Junior, uma esperança para a tradição brasileira no salto triplo? 
Isadora Williams consegue feito histórico em PyeongChang 
A Queda da Bastilha do esporte brasileiro



MaisRecentes

Vem aí um novo ídolo do esporte brasileiro: Hugo Calderano



Continue Lendo

Dez mulheres olímpicas que deixam o Brasil orgulhoso



Continue Lendo