Heróis de PyeongChang #1: Ireen Wust



Ireen Wust comemora a vitória nos 1.500 m da patinação de velocidade na Olimpíada de PyeongChang (Crédito: Mladen Antonov/AFP)

Esta série do blog começa na verdade com uma heroína. A emoção da holandesa Ireen Wust, às lágrimas, festejando a conquista da medalha de ouro após a prova de 1.500 m da patinação de velocidade da Olimpíada de PyeongChang, nesta segunda-feira (12), era plenamente justificável. Afinal, ela havia acabado de alcançar um feito histórico nos Jogos de Inverno.

A vitória obtida na Arena de patinação de Gangneung significou a 10ª medalha olímpica no currículo de Wust. Ninguém jamais fez algo semelhante na patinação artística. Dois dias antes, na prova dos 3.000 m, ela já tinha igualado a recordista anterior, a alemã Claudia Pechstein (9 medalhas, cinco de ouro). Além de ter uma a mais no total, Wurst já igualou a alemã em medalhas de ouro.

Perto da aposentadoria, Ireen Wust poderá aumentar até o final da Olimpíada, que deve ser sua última competição. Nesta quarta-feira (14), ela participa dos 1.000 m e a partir do dia 19, inicia a disputa da perseguição por equipes. Mais medalhas à vista?

Quem é ela

Nome: Ireen Wust
Idade: 31 anos (1º/4/1986)
Altura: 1,68 m
Peso: 60 kg

Principais conquistas

Em Olimpíadas: Turim-2006: ouro nos 3.000 m  e bronze nos 1.500 m; Vancouver-2010: ouro nos 1.500 m; Sochi-2014: ouro nos 3.000 m e perseguição por equipes, prata nos 1.000 m, 1.500 m e 5.000 m

Em Mundiais: 9 títulos e 13 vice-campeonatos individuais e por equipes desde 2007

Ranking: 10º lugar geral na temporada 2017/18 (melhor ranking 1º lugar na temporada 2012/13)

VEJA TAMBÉM:

Os problemas da Olimpíada de PyeongChang e a crítica seletiva 
Abertura da Olimpíada de PyeongChang foi uma vitória do esporte 
Delegação do Brasil encolhe 30% nos Jogos de Inverno em quatro anos 
Doping da Rússia continua dando muita dor de cabeça para o COI 
Fique por dentro da Olimpíada de PyeongChang em 18 números 
Noruegueses traídos pelo Google tradutor em PyeongChang



MaisRecentes

Os segredos de Jésus Morlán para reinventar a canoagem do Brasil



Continue Lendo