Handebol feminino do Brasil tenta provar que Mundial de 2013 não veio por acaso



A Seleção Brasileira feminina começa neste sábado sua caminhada no Mundial feminino de handebol (Crédito: Divulgação)

A Seleção Brasileira feminina de handebol começa neste sábado uma dura missão: mostrar que sua maior glória, o título mundial de 2013, não aconteceu sem querer. A largada para o Mundial da Alemanha, que começou nesta sexta (vitória das donas da casa sobre Camarões por 28 a 15), mostrará uma virada de página na equipe brasileira. Sob o comando do novo técnico, o espanhol Jorge Dueñas, o Brasil inicia uma nova era sonhando em retornar ao pódio da competição.

A estreia contra o Japão, a partir das 14h45 (horário de Brasília), em Oldenburg, será a ideal para a Seleção feminina iniciar sua caminhada com relativa tranquilidade. Aliás, será a segunda  vez consecutiva que o Brasil estreia em um Mundial contra uma equipe oriental – em 2015, a adversária foi a Coreia do Sul.

Dueñas chega em um momento complicado para o handebol brasileiro. Com diminuição da verba de patrocínio dos Correios, a CBHb não conseguiu promover a renovação do contrato do treinador dinamarquês Morten Soubak, o grande responsável pela revolução do handebol feminino do país. Em cinco anos, o time conquistou um quinto lugar no Mundial de 2011, no Brasil, um sexto lugar na Olimpíada de Londres-2012, o título mundial em 2103 e o quinto lugar na Olimpíada Rio-2016.

Um currículo excelente, se pensarmos que a modalidade passou anos praticamente no limbo do esporte, sem investimentos ou intercâmbio com as grandes forças mundiais. Sem Morten e também tendo que fazer uma renovação na equipe, após as aposentadorias de titulares como Dani Piedade e Dara, o Brasil inicia sua reconstrução sob o signo da incerteza. A amadora Duda Amorim, a goleira Bárbara, a central Ana Paula e a ponta Samira são as principais atletas desta nova Seleção Brasileira.

Jogos do Brasil no Mundial feminino de handebol na primeira fase

Grupo C (horários de Brasília)

2/12
14h45 – Brasil x Japão

3/12
11h – Tunísia x Brasil

5/12
14h45 – Rússia x Brasil

6/12
17h30 – Brasil x Dinamarca

8/12
14h45 – Brasil x Montenegro

LEIA MAIS SOBRE HANDEBOL:

Experiência é a aposta do Brasil no Mundial feminino de handebol 
Com hexa, França confirma dinastia no handebol masculino 
Brasil não supera sua melhor campanha no Mundial de handebol



MaisRecentes

Qual sua dupla de mascotes preferida para os Jogos de Tóquio-2020?



Continue Lendo

Eliminação no Mundial precisa servir de aprendizado para o handebol do Brasil



Continue Lendo

Após modernizar estatuto, confederações concorrem a prêmio de governança



Continue Lendo