Handebol brasileiro muda de patamar com 9º lugar no Mundial



Zé Toledo sobe para fazer mais um gol em mais uma vitória do handebol brasileiro no Mundial, desta vez contra a Islândia (Crédito: IHF)

Antes de estrear no Mundial masculino, havia a certeza de que o handebol brasileiro teria vida muito complicada. Sim, aquela história toda que escrevi bastante por aqui: grupo da morte, preparação atribulada, crise da modalidade etc.

Mas uma coisa é inegável. Ao encerrar sua participação no Mundial nesta quarta-feira, com uma vitória por 32 a 29 sobre a Islândia, em Colonia (ALE), o Brasil mudou de patamar no handebol masculino mundial.

O 9º lugar, confirmado nesta quarta-feira, é o melhor resultado já obtido por uma seleção masculina de handebol em mundiais.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga

Esta evolução não pode ser considerada totalmente uma surpresa. Ao contrário do feminino, que chegou ao título mundial em 2013, o handebol masculino brasileiro foi subindo aos poucos. A classificação para as quartas de final na Olimpíada Rio-2016 já era um sinal disso.

Se a CBHb (Confederação Brasileira de Handebol) não tivesse se afundado em uma crise política e financeira a partir de 2017, com a debandada de patrocinadores, é provável que o cenário estivesse bem melhor.

Em quadra, porém, com um time experiente, onde quase todos os seus integrantes atuam na Europa, a seleção encarou todos os rivais sem complexo de inferioridade.

Veja a galeria de fotos do Mundial de handebol

 

Foram três derrotas normais (França, Alemanha e Espanha, que estão em um patamar acima), e QUATRO vitórias diante de europeus. Nunca antes o handebol brasileiro havia conseguido isso. Ao superar Sérvia, Rússia, Croácia e Islândia – times que nunca havia vencido -, o Brasil mostrou que precisa ser encarado de uma forma diferente.

Certamente a seleção brasileira estará na Olimpíada de Tóquio-2020. E pelo que mostrou neste Mundial, não será para fazer figuração.

VEJA TAMBÉM:

Jordi Ribera volta a ser carrasco do handebol do Brasil 
Brasil ganha de outro gigante no Mundial de handebol e segue sonhando 
O significado que a classificação no Mundial terá para o handebol do Brasil



MaisRecentes

Os números que comprovam a força de Ana Marcela Cunha para Tóquio-2020



Continue Lendo

Leila Sobral vai se desfazer de sua medalha olímpica. Mas é por uma boa causa



Continue Lendo

COI define equipes unificadas da Coreia para Tóquio-2020



Continue Lendo