Filme sobre a vida de Jesse Owens será lançado dia 19, nos EUA



Cena do filme "Race", que retrata a vida de Jesse Owens. Crédito: divulgação

Cena do filme “Race”, que retrata a vida do herói olímpico Jesse Owens. Crédito: divulgação

A vida de de um dos maiores atletas da história do esporte chegará às telas do cinema a partir do próximo dia 19. “Race”, cinebiografia do americano Jesse Owens, será lançado no próximo dia 19, nos Estados Unidos (ainda não há data de lançamento para o Brasil).

“Race” retrata a vida de Owens, atleta negro descendente de escravos americanos, que conseguiu desmoralizar as teorias racistas do regime nazista nos Jogos Olímpicos de Berlim 1936, ao conquistar nada menos do que quatro medalhas de ouro: 100 m rasos, 200 m rasos, revezamento 4 x 100 m e salto em distância.

O sucesso de Owens (interpretado por Stapahn James no filme) simbolizou a derrota do nazismo e da teoria da superioridade da raça ariana sobre as demais, embora a Alemanha tenha ficado no primeiro lugar do quadro de medalhas daquela edição dos Jogos (101 medalhas no total, 38 de ouro, 31 de prata e 32 de bronze).

>>> Veja ainda: Rúgbi de roupa nova para a Rio-2016

Criou-se a lenda que os feitos de Jesse Owens teriam irritado tanto o ditador alemão Adolf Hitler que ele teria deixado a tribuna do Estádio Olímpico de Berlim, para não cumprimentar o americano. Na verdade, Hitler recusou-se a entregar a medalha de ouro para outro negro americano, Cornelius Jonhnson, campeão no salto em altura. Por sinal, o pódio nesta prova foi todo formado por atletas dos EUA: Dave Albritton ficou com a prata e Delos Thurber, com o bronze.

Também fazem parte do elenco de “Race” Jason Sudeikis, que vive o papel de Larry Snyder, o técnico de Owens, e Jeremy Irons interpreta Avery Brundage, chefe do comitê olímpico americano em Berlim 1936  e que viria a ser presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional).

No vídeo abaixo, cena em que Jesse Owens vence a final do salto em distância, com direito a bater o recorde olímpico, após receber algumas dicas do alemão Luz Long, que ficou com a prata e ficaria seu amigo ao final dos Jogos de Berlim.



MaisRecentes

Governo rebatiza programa ‘Atleta Pódio”, de olho em Tóquio-2020



Continue Lendo

Tragédia das enchentes no Peru deixa Pan de Lima-2019 na berlinda



Continue Lendo