Especial da ESPN dá um soco no estômago do esporte olímpico brasileiro



O programa Brasil Olímpico – Uma candidatura passada a limpo, exibido neste último sábado, pela ESPN Brasil (e com reprise nesta segunda-feira) é daqueles para se rever mais de uma vez. Trata-se de um verdadeiro soco no estômago do esporre olímpico brasileiro, e atinge com precisão a grande aventura que é a candidatura olímpica do Brasil para as Olimpíadas de 2016.

Depois de assistir as imagens do fajuto legado do Pan de 2007, as instalações jogadas às traças espalhadas pelo Rio de Janeiro e o descaso com que medalhistas olímpicos são tratados, não dá para levar a sério mais esta piada, protagonizada pelo presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, de querer trazer os Jogos Olímpicos para o Brasil, antes de fazer o básico pelo esporte brasileiro.

Como escreveu Juca Kfouri em seu blog, fosse o Brasil um país sério, o ministro do Esporte cairia e o presidente do COB correria o risco de ser preso depois do que foi exibido pela ESPN Brasil.



  • Alvaro Modele

    Caro Marcelo,assiti o programa na ESPN ontem. Sendo morador do Rio e tendo estado aqui antes, durante e depois dos Jogos, teria todos os motivos para estar indignado com o que foi apresentado pelo programa.Conhecendo também a imprensa brasileira achei o tom das matérias bastante tendenciosas por mais que os fatos mostrados (relevantes ou não) possam ser verdadeiros. Concordei com todas as assertivas dos entrevistados que falam sobre utilização dos estádios, suporte aos atletas, utilização correta da verba pública e eliminação da corrupção.Sendo honesto, o que não me agradou no programa não foi a tentativa de trazer à luz a “realidade nua e crua”, trazer a “verdade” para o espectador, mas o fato da matéria não apresentar um número sequer, não entrevistar as partes e, como é usual na ESPN, fazer acusações sem a preocupação de levar à audiência a visão do COB e dos governos de forma que se possa formar uma opinião equilibrada do assunto. Caiu na mesma ladainha que ouvimos todos os dias nos jornais.Parece que a imprensa brasileira ainda não entendeu que para podermos mudar é importante que o espectador tenha acesso a fatos concretos para que possa formar a sua opinião em definitivo. O programa é cheio de supostos “furos de reportagem” mas que não trazem conteúdo suficiente e fica parecendo que estão querendo nos enganar.Sendo assim, nos enganam os políticos, o COB e também a ESPN. Em quem acreditar, então??Digo isso porque tenho acompanhado algumas notícias sobre esporte nos jornais locais e vi, esta semana, que há um plano de um instituto ou algo parecido sendo implantado no Maria Lenk. Longe de tentar defender o COB, mas estando com esta notícia em mente, o texto, a locução, enfim, o teor do bloco que tratou do local no ESPN me pareceu totalmente forçado. Neste momento, percebi que o programa trouxe para entrevistar somente pessoas não responsáveis pelos problemas e sempre mantendo o tom de suspense e indignação. Ficou claro que o programa e tendencioso.Independentemente de apoiar ou não a candidatura do Rio para as Olimpíadas, a partir passei a me questionar sobre algo maior. Qual o interesse da emissora em promover algo sem o devido fundamento? Sendo a ESPN uma emissora americana (competidos contra do Rio), não teriam eles interesse em denegrir a nossa imagem??? Não lucraria a ESPN muito mais se as olimpíadas forem lá?? Não sei… mas valeria a pena checar…Alvaro Modele

  • Olá, Alvaro,Sua análise é muito interessante e fundamentada, mas conhecendo os integrantes da ESPN Brasil, acredito que a palavra do COB só não esteve presente no especial por pura falta de vontade dos representantes da entidade em falar. Sinceramente, não achei o programa tendencioso e sobre o caso do maria Lenk, foi citado o programa de revelação de novos talentos que será implantando não apenas no parque aquático, mas para outras modalidades, alí, na região do autódromo de Jacarepaguá.De qualquer forma, obrigado pela sua visita e volte sempre.

MaisRecentes

Hipismo ensaia novidades para Tóquio-2020. Até onde irá a revolução olímpica?



Continue Lendo

Saiba porquê o levantamento de peso corre risco de ser cortado das Olimpíadas



Continue Lendo

Ciclistas olímpicos brasileiros participam de festival em São Paulo



Continue Lendo