Erika Miranda salva o sábado brasileiro no Pan de Toronto



Erika Miranda comemora sua vitória na final da categoria 52 kg do judô, no Pan de Toronto. Crédito: Ministério do Esporte

Erika Miranda comemora a vitória na final da categoria 52 kg do judô, em Toronto. Crédito: Ministério do Esporte

O final do primeiro dia completo de competições nos Jogos Pan-Americanos de Toronto caminhava para deixar um certo clima de frustração dentro da delegação do Brasil. Sim é verdade que a ginástica artística conquistou uma boa medalha de prata na prova por equipes, com ótima performance do campeão olímpico nas argolas, Arthur Zanetti, além do belo resultado de Natália Brígida, bronze no judô (48 kg). Mas no fundo, esperava-se mais.

A incrível derrota de Felipe Kitadai, na final dos 60 kg do judô, com um ippon após 30 segundos na luta diante do equatoriano Lenin Preciado; a ausência no pódio da equipe do nado sincronizado, que terminou em quarto lugar, após ter emplacado ao menos o bronze desde os Jogos de Santo Domingo 2003; a eliminação de Renato Rezende, quinto no ranking mundial, na semifinal do ciclismo BMX; o quarto lugar de Cesar Castro na prova do trampolim 3 m nos saltos ornamentais, depois de ter ficado em um ótimo terceiro lugar nas eliminatórias; e o decepcionante 10º lugar de Pâmela Oliveira no triatlo feminino, que viu suas chances escaparem após uma queda na prova do ciclismo

>>> E mais: Qual a importância em ficar no 2º lugar no quadro de medalhas do Pan de Toronto?

Até que veio a final da categoria 52 kg no judô feminino e a fantástica vitória de Erika Miranda, derrotando na final a canadense Ecaterina Guica, para cravar o primeiro ouro brasileiro em Toronto.

Ufa, nem tudo está perdido. E o Pan está só começando…