Dois pitacos sobre a seleção brasileira



1) Alguns jogadores nasceram iluminados. É o caso deste menino Alexandre Pato. Só mesmo alguém que é especial entra em campo, num jogo que caminhava fácil para o empate, tem a felicidade de estar perto do goleiro, aproveita a lambaça feita pelo sueco e, quase sem olhar, faz um golaço, garantindo a vitória do Brasil por 1 a 0 sobre a Suécia. Tudo isso em sua primeira partida oficial pela seleção brasileira principal! O destino parece reservar um futuro brilhante e este garoto;

2) Não há justificativa para o festival de bobagens disparadas pelos jogadores da seleção, ao serem perguntados a respeito da equipe que ganhou a primeira Copa do Mundo para o Brasil, em 1958. Alguns, como Luís Fabiano, não sabiam dizer sequer um nome de um jogador que integrou aquela equipe, argumentando que nasceram anos depois. Seria a mesma coisa que alguém dizer que jamais ouviu falar de Pedro Álvares Cabral, só porque nasceu depois de 1500!!! O que estes jogadores, muitos deles ganhando rios de dinheiro no exterior, é que se eles chegaram onde estão devem demais aos heróis de 58. E deveriam saber de cor e salteado a escalação daquele time!


  • Laguna, acorda, se você perguntar em que anos o Brasil ganhou a Copa, 95% da boleirada não irá conseguir acertar 3 Copas.Você acha que os pagodeiros lêem livros?

  • Eu concordo com vc, Rubão, e acho até que a porcentagem seria maior do que esta aí. Isso não significa que eu não possa ficar indignado com isso. A droga da assessoiria de imprensa deveria funcionar extamente pra isso, nem que fosse pra ensaiar as respostas destes idiotas

  • Já parei de me indignar com esses montes de imbecis. Nem conseguem falar uma frase simples sem errar. É pedir muito para essa geração mercantilista e alienada saber algo da seleção. Pergunte ao Luís Fabiano quais foram os grandes jogadores da história do seu time e ele dirá Rogério Ceni, Raí, Muller, Cafu e irá parar por aí.E isso acontece com todos os outros. E vc sabe que essas assessorias não fazem nada que preste. Ou talvez até façam, mas nenhum dos atletas conseguem pregar o olho num pedaço de papel por 20 segundos.

  • Em compensação, não desgrudam os olhos do notebook deles nas concentrações, conectados nas ssalas de bate-papos…

  • Anônimo

    Seleção de 58: Toninho; Zezé, Chicão, Quarentinha e Canhoteiro; Didi, Dedé, Mussum e Zacarias; Bebeto e Romário. Acertei?

MaisRecentes

Fora da Odepa, Nuzman precisa se preocupar com o esporte do Brasil



Continue Lendo

Em disputa acirrada, Nuzman tenta presidência da Odepa nesta quarta



Continue Lendo

Em semana decisiva na Odepa, Nuzman ganha cargo em Tóquio-2020, diz site



Continue Lendo