Diário Esportivo: eis a coluna desta sexta



Flávio Canto busca o maior ippon da carreira

Neste final de semana, o judoca Flávio Canto, inglês de nascimento e carioca de coração, tentará em terras francesas alcançar o sonho de ir aos Jogos Olímpicos de Pequim. A Super Copa do Mundo de Paris — torneio que só perde em tradição na modalidade para as próprias Olimpíadas e para o Campeonato Mundial — é uma das últimas oportunidades para Canto, de 32 anos, conseguir carimbar seu passaporte olímpico pela terceira vez, na categoria meio-médio (até 81 kg). Bronze nos Jogos de Atenas-04, Flávio Canto também esteve presente em Atlanta-96, quando terminou em sétimo lugar, com apenas 21 anos.

Curiosamente, o maior obstáculo de Canto para realizar seu sonho não estará exatamente em Paris e sim aqui mesmo no Brasil. Por um destes caprichos que só o esporte proporciona, Canto terá que superar o seu compatriota Tiago Camilo, que simplesmente é o atual campeão mundial na categoria.

Novidades na seletiva
Ao contrário de anos anteriores, quando ocorreram brigas históricas entre o campeão olímpico Aurélio Miguel e o ex-ditador da CBJ, Joaquim Mamede, os critérios para a seletiva olímpica de Pequim estão bem definidos: serão os resultados individuais no tatame que decidirão a parada. E justamente por isso o desafio de Canto é ainda mais complicado.

Corrida desigual
Além de ser obrigado a ter atuações excepcionais no torneio de Paris e na Copa do Mundo de Viena, na semana que vem (de preferência com duas vitórias), Canto terá que “secar” Tiago Camilo na Super Copa do Mundo de Hamburgo e na Copa do Mundo de Praga, ambos marcados para o final do mês. E se Camilo confirmar o favoritismo e igualar a campanha, Canto levará a pior no critério de desempate. E adivinhem qual é este critério? Justamente o ouro obtido por Camilo no último Mundial.

Ano novo, vida nova
Não é só Flávio Canto que busca neste giro europeu sua última chance de ir a Pequim. Aos 34 anos, Vânia Ishii quer usar toda a sua experiência para carimbar o passaporte. Graças a uma péssima temporada em 2007 (quando ficou fora dos Jogos Pan-Americanos), ela está em desvantagem com Danielli Yuri, prata pan-americana. Apenas João Derly (meio-leve) e Érika Miranda (meio-leve), pelos resultados de 2007, estão garantidos nas Olimpíadas.

Quase lá
Só mesmo uma surpresa do tamanho de um tsunami impedirá que a dupla Robert Scheidt e Bruno Prada ratifique, na classe Star, a vaga olímpica para Pequim, a partir de hoje, na Baía da Guanabara, durante a disputa da Seletiva Brasil de Vela. Também estarão competindo barcos das classes Finn, 470 (feminino) e RS:X (masculino).



  • O Canto que me perdoe. Mas se o Tiago ficar fora das Olimpíadas será uma dos episódios mais ridículos da história do esporte brasileiro. Tiago é campeão mundial e foi eleito melhor judoca do mundo em 2007. Como negar a este cara a passagem para Pequim?

  • Cara, o Camilo só perde a vaga se acontecer uma daquelas zebras históricas.

  • Fernanda Hanna

    O Flavio Canto luta muito, sou fãzoca dele. No solo é o melhor do mundo. Beijos

MaisRecentes

Liberação da Fiba é o mais novo título mundial do basquete brasileiro



Continue Lendo

Herói olímpico dos EUA desafia escândalo sexual no Mundial de taekwondo



Continue Lendo

Com medalhista olímpico, Brasil estreia sábado no Mundial de taekwondo



Continue Lendo