Diário Esportivo: a coluna desta semana…



Erros de 2004 podem ajudar Jade em Pequim

A falta de memória é um problema crônico do brasileiro. Se for para lembrar de coisa ruim então…Por isso, vamos ajudar a recordar o clima que existia no Brasil quatro anos atrás, véspera dos Jogos Olímpicos de Atenas. Na época, a ginástica artística vivia um clima de euforia jamais visto, especialmente em relação a uma modalidade sem tradição por aqui. O motivo de toda esta agitação atendia pelo nome de Daiane dos Santos.

Embalada pelo título mundial de Anaheim de 2003 e medalhas de ouro em etapas da Copa do Mundo de 2003 e 2004 — sempre no solo, sua especialidade —, Daiane chegava à capital grega na condição de uma das favoritas a conquistar a medalha de ouro. Como era de se esperar, criou-se em torno dela um clima de oba-oba, que não foi filtrado pela comissão técnica e pelos cartolas da Confederação Brasileira de Ginástica. Tudo isso pesou demais sobre os ombros da gauchinha, que ainda por cima sofreu uma cirurgia no joelho dois meses antes dos Jogos. Resultado: falhas na apresentação e um quinto lugar na classificação geral, normalmente uma colocação honrosa, mas que diante das circunstâncias, teve o peso de uma tragédia.

Para 2008, uma outra ginasta desponta como candidata a brilhar nos Jogos de Pequim. Mas dificilmente a jovem carioca Jade Barbosa, de apenas 16 anos, sofrerá a mesma pressão vivida por Daiane, o que pode se traduzir, acredite, em uma inédita medalha olímpica na ginástica.

Precoce maturidade
Pelo menos dois fatores irão contribuir bastante para uma boa performance de Jade Barbosa em ginásios chineses. Primeiro, ela não é a principal protagonista da equipe brasileira, posto que pertence a Diego Hypólito, favorito a faturar uma medalha (inclusive de ouro) na prova do solo. Além disso, a própria maturidade precoce da ginasta, que perdeu a mãe quando tinha apenas 10 anos, pode ajudá-la a controlar os nervos. E os ótimos resultados na Copa do Mundo de Cottbus, na Alemanha, no último final de semana, quando foi prata no solo e no salto sobre o cavalo, servem de referência para quem aposta em uma boa campanha olímpica.

Regulamento esdrúxulo
Neste final de semana, termina a edição 2007/08 da Superliga. A versão feminina terá como finalistas Rexona e Osasco, enquanto Minas e Florianópolis são os protagonistas da final masculina. Os dois torneios serão decididos no Ginásio do Maracanãzinho, em um único jogo. Isso após os mata-matas anteriores terem sido realizados em até três partidas. Só há um adjetivo para definir o regulamento da competição: ridículo

Azar no sorteio
Nem mesmo com Gustavo Kuerten em forma o Brasil teria chance de encarar a Croácia, fora de casa. À CBT, resta planejar a vida na Zona Americana da Davis em 2009.

Foto: Jade Barbosa no Pan-Americano do Rio – Crédito: Alexandre Loureiro/COB



  • Olá, estou visitando blogs para saber o que estão fazendo.Gostaria de convidar que visite meu blog e, se gostar, vote no blogstar.Usei o forma de comentário, pois não encontrei caixa de recados.Tenha um ótimo feriadão.

MaisRecentes

Sonho de Budapeste para os Jogos de 2024 pode terminar nesta quarta-feira



Continue Lendo

Falta patrocínio no esporte brasileiro? O rúgbi não tem do que reclamar



Continue Lendo

Oscar Schmidt no All-Star da NBA alivia a depressão do basquete brasileiro



Continue Lendo