Ao confirmar afastamento da Aiba, COI reforça boxe feminino para Tóquio-2020



Reunião do Comitê Executivo do COI, que confirmou as mudanças na organização do boxe para a Olimpíada de Tóquio (Crédito: Flickr/COI)

Sem surpresas, o COI (Comitê Olímpico Internacional) confirmou nesta quarta-feira (19) as recomendações feitas pelo Comitê Executivo da entidade em maio. Para a Olimpíada de Tóquio-2020, a Aiba (Associação Internacional de Boxe) está suspensa. Nos Jogos do ano que vem, uma força-tarefa criada pelo COI é quem fará a gestão da modalidade. E logo de cara, quem saiu ganhando com as mudanças foi o boxe feminino.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga

Além de sacramentar a exclusão da Aiba, o COI divulgou os critérios de qualificação para os Jogos de 2020. Também foi confirmada a quantidade de categorias que estarão brigando pelas medalhas em Tóquio. E foi justamente aqui a grande “vitória” das mulheres, que estarão competindo em cinco categorias no Japão, contra oito dos homens.

Se não há a completa igualdade de gênero, como deseja e recomenda o COI para todas as federações internacionais, houve uma grande evolução desde a entrada do boxe feminino no programa olímpico. Desde que passaram a disputar a Olimpíada, em Londres-2012, passando pela Rio-2016, o boxe feminino estava resumido a apenas três categorias, contra dez masculinas. A redistribuição aprovada nesta quinta-feira significou um incremento de 25% da cota de atletas femininas no boxe.

No total, o boxe em Tóquio-2020 terá 286 atletas em ação.

As categorias no masculino são mosca (52 kg), pena (57 kg), leve (63 kg), meio-médio (69 kg), médio (75 kg), meio-pesado (81 kg), pesado (91 kg) e superpesado (+ 91 kg). No Feminino, mosca (51 kg), pena (57 kg), leve (60 kg), meio-médio (69 kg) e médio (75 kg).

Pode parecer pouco, mas para um esporte que vinha sendo comandado por uma entidade suspeita de corrupção até a medula como ma Aiba, já foi um grande passo.

A força-tarefa do COI, que é comandada pelo presidente da FIG (Federação Internacional de Ginástica), Morinari Watanabe, anunciou a lista de eventos qualificatórios para os Jogos de 2020. Todos acontecerão no ano que vem, numa corrida pelas vagas relativamente apertada. Serão disputados quatro pré-olímpicos continentais, entre 1º de janeiro e 30 de abril de 2020, com as datas a serem confirmadas em breve. Os últimos classificados serão conhecidos em um pré-olímpico mundial, que acontecerá em maio do ano que vem.

O boxe conseguiu se salvar para a Olimpíada de Tóquio e as mulheres acabaram saindo como as grandes vencedoras em toda esta crise.

VEJA TAMBÉM:

COI toma as rédeas do boxe e decide tirar a Aiba de Tóquio-2020 
Afastamento de cartola da Aiba deve assegurar boxe olímpico em Tóquio 
Após ameaça, COI avisa a atletas que haverá boxe em Tóquio-2020