COI segue em busca da fonte da juventude



A Olimpíada de Tóquio-2020 marcará de fato a luta do COI (Comitê Olímpico Internacional) para encontrar sua “fonte da juventude”. A tendência, que já começara a se desenhar no ano passado, ao autorizar a entrada de modalidades “radicais”, como surfe, skate e escalada esportiva, ficou escancarada nesta sexta-feira. Com aval do comitê executivo da modalidade, os próximos Jogos Olímpicos começarão uma era para atrair de vez uma parcela de um público consumidor que não se empolga tanto mais com os esportes mais tradicionais.

O comitê executivo do COI aprovou nesta sexta-feira (9) a entrada de novos eventos no programa esportivo de Tóquio-2020, alguns com uma pegada bem X-Games, justamente para trazer os fãs mais jovens para os Jogos Olímpicos. Foi essa a motivação que convenceu o COI a aprovar a entrada do basquete 3×3 e o ciclismo BMX freestyle. Como Tóquio terá uma de suas áreas de competição destinada aos esportes “radicais” já definidos (skate e a escalada), estas duas novas modalidades completarão perfeitamente o plano de Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional.

Vale recordar que já era intenção de Bach atrair os jovens para o movimento olímpico desde quando anunciou a publicação da Agenda 20+20, em 2014.

Só há um risco, que não pode ser descartado: as decisões tomadas hoje em Lausanne certamente vão de encontro com os novos tempos e hábitos do público. Resta ver o quanto isso trará de impacto na essência dos Jogos Olímpicos. A presença de esportes como surfe, skate e escalada já tinham criado esta dúvida entre os fãs mais tradicionais.

Modalidades mistas

A reunião desta sexta-feira também serviu para confirmar a entrada de outros eventos no programa esportivo. Todos com a intenção de aumentar a igualdade de gêneros na Olimpíada.

Foram aprovadas, por exemplo, as entradas de competições mistas por equipe no judô, tênis de mesa, tiro com arco e triatlo.

O atletismo ganhou mais um evento, o revezamento misto 4 x 400 m, que pôde ser visto recentemente no Mundial de Revezamentos, disputado nas Bahamas. A natação também ganhou um revezamento misto, o 4 x 100 m medley. E ainda conseguiu emplacar dois novos eventos, os 800 m masculino e os 1.500 m feminino.

LEIA MAIS SOBRE TÓQUIO-2020:

Com grana enxuta, atletismo brasileiro aposta em ‘meritocracia’ para Tóquio-2020 
Em semana decisiva na Odepa, Nuzman ganha cargo em Tóquio-2020 
Tóquio-2020 confirma Fukushima como uma das sedes do beisebol 
Orçamento de Tóquio-2020 prova que a conta do COI não fecha
As mudanças que vão revolucionar as Olimpíadas em 2020. mas para melhor?

Já o ciclismo, além de conseguir a entrada do BMX freestyle, terá ainda o retorno das provas do madison, nos dois naipes, aumentando para 12 os eventos do ciclismo pista. As mudanças anunciadas nesta sexta aumentarão a participação feminina em 48,8% nos Jogos Olímpicos.

É claro que para todas estas novidades, haverá gente perdendo espaço. O COI não quer ultrapassar 10.600 atletas em Tóquio. Com isso, diversas modalidades perderão quotas de participação.

A lista completa das mudanças no programa esportivo para Tóquio-2020:

Aquáticos (natação): 800 m (Mas), 1.500m (Fem), revezamento 4 x 100 m medley (Misto)
Tiro com arco: Competição por equipes mista
Atletismo: Revezamento 4 x 400 m (Misto)
Basquete: 3×3 (Feminino  e Masculino)
Boxe: Sairão duas categorias masculinas e entrarão duas femininas
Canoagem: Entrarão três categorias femininas e extintas três masculinas
Ciclismo BMX – Freestlye (Feminino e Masculino)
Ciclismo Pista – Madison (Feminino e Masculino)
Esgrima – Competição por equipes (Feminina e Masculina)
Judô – Competição por equipes (Mista)
Remo: Criação de uma categoria feminina e extinção de uma masculina
Vela: Mudança de uma categoria mista (Nacra 17 será substituída)
Tiro esportivo: Troca de três categorias masculinas por três mistas
Tênis de mesa: Criação de uma competição de duplas mistas
Triatlo: Criação de uma competição de revezamento por equipes mista
Levantamento de peso: Exclusão de uma categoria

Menos vagas

Veja quais modalidades vão perder número de quotas de participação para Tóquio-2020 com as novas modalidades

Atletismo – redução de 105 atletas
Natação – redução de 22 atletas
Polo aquático – redução de 18 atletas  (mas serão acrescentadas duas seleções femininas)
Basquete – acréscimo de 64 atletas
Remo – redução de 24 atletas
Vela – redução de 30 atletas
Tiro esportivo – redução de 30 atletas
Levantamento de peso – redução de 64 atletas
Wrestling – redução de 56 atletas
Boxe – transferência de 44 vagas no masculino para o feminino
Canoagem – transferência de 55 vagas do masculino para o feminino
Ciclismo BMX – transferência de oito vagas do masculino para o feminino
Ciclismo Mountain Bike – transferência de oito vagas do masculino para o feminino; transferência dequatro vagas para o BMX Freestyle
Ciclismo Estrada – transferência de 14 vagas para o Freestyle  masculino
Judô – transferência de 38 vagas do masculino para o feminino

Confira aqui o programa esportivo completo de Tóquio-2020

 



MaisRecentes

Saída de Nuzman já repercute positivamente dentro das confederações



Continue Lendo

Basquete masculino brasileiro bebe na fonte certa para tentar se reerguer da crise



Continue Lendo

O calote do Comitê Rio-2016 é uma vergonha que ficará para sempre



Continue Lendo