Cielo e o Mundial de piscina curta



Cesar Cielo comemora o ouro nos 50m livre em Dubai/Crédito: CBDA


Sim, Cesar Cielo mostrou nesta sexta-feira que é o maior velocista da natação na atualidade. Sim, Cesar Cielo superou mais uma o francês
Frédérick Bousquet, seu maior rival nas piscinas. E sim, Cesar Cielo ganhou a medalha de ouro no Mundial de piscina curta, em Dubai, nos Emirados Árabes, quebrando o recorde sul-americano dos 50m livre.

Mas sem desmerecer ou tentar desqualificar o feito de Cielo, é bom que o pessoal mantenha os pés no chão. Cesar Cielo tornou-se nesta sexta-feira campeão mundial dos 50m livre em piscina curta! O equivalente seria querer comparar os feitos da seleção brasileira de futebol com os títulos conquistados pela seleção de futebol de areia. Não dá, né?

Cesar Cielo é um fenômeno, tem tudo para ser o maior nadador brasileiro em todos os tempos. Só não podemos cair no oba-oba das emissoras de TV e também da CBDA, que têm o maior interesse em bombar esta coisa esquisita e mala chamada Mundial de piscina curta e tentar transformar um grande feito em algo maior do que é.



  • Marcelo, perdão, mas acho que você exagerou nas críticas a este Mundial. O evento em Dubai foi o único a reunir os atletas que disputaram o Pan-Pacífico e o Europeu, então foi uma grande competição, sim. Claro que a piscina que importa, no fim da contas, é a longa, mas gente boa do mundo todo foi para lá e nadou na mesma piscina. Cielo venceu todos.

    Só pra lembrar: nem ele nem Felipe França conquistaram vitórias inéditas ontem. Os dois UNIFICARAM os títulos em piscinas longas e curtas (e Cielo ainda juntou a isso a piscina de jardas). É, sim, um feito histórico e muito importante.

  • Filipe, as críticas ao Mundial de piscina curta não são exclusividade minha. Vários técnicos renomadors, que não fazem parte da patota da CBDA, já disseram que a representatividade do Mundial de piscina curta é nula. Excepcionalmente, os americanos levaram este ano um time forte, exceção apenas ao Phelps. Ainda assim, não se pode negar que é um eventop de menor importância na natação.

    Já os feitos de Cielo e Felipe França são inquestionáveis. O Brasil tem uma geração muito talentosa e que conta, acima de tudo, com um gênio chamado Cielo.

    Valeu pela visita, um abraço.

MaisRecentes

Governo rebatiza programa ‘Atleta Pódio”, de olho em Tóquio-2020



Continue Lendo

Tragédia das enchentes no Peru deixa Pan de Lima-2019 na berlinda



Continue Lendo