Brasil larga bem e alcança primeiro objetivo no Mundial de ginástica artística



Tudo bem que foi só o primeiro dia de competições e ainda é cedo para comemorações. Mas a largada do Brasil no Mundial de ginástica artística, que acontece em Doha (Qatar), acabou sendo excelente.

O grupo brasileiro não apenas chegou à final por equipes, como atingiu o principal objetivo traçado para este Mundial.

Pelo planejamento inicial, o Brasil teria que buscar um lugar entre os 24 primeiros colocados e assim levar equipe completa no Mundial de 2019, em Stuttgart (ALE). Será nesta competição em que a maioria das vagas para a Olimpíada de Tóquio-2020 serão distribuídas.

A meta foi cumprida com sobras, ao ficar em sexto lugar na classificação geral.

Além de chegar à final por equipes, o Brasil ainda se classificou para três finais individuais, somando quatro no masculino. Foi simplesmente o dobro do que havia ocorrido no Mundial de 2017, disputado em Montreal (CAN), quando alcançou duas finais.

Desta vez, Caio Souza assegurou vaga na final do individual geral e no salto. Já Arthur Zanetti, duas vezes medalhista olímpico, está na final das argolas.

Caio Souza, por final, teve uma ótima performance nesta sexta-feira, pois avançou com a 11ª nota no individual geral (82,331) e ficou em sexto lugar no salto (14,583).

Também foi uma grata surpresa a ótima nota obtida por Arthur Zanetti, especialmente pelo fato de que perdeu mais de um mês de treinos em razão de uma contusão no braço direito. Ele ficou em segundo lugar, com 15,033, atrás apenas do grego Eleftherios Petrounias, que o derrotou na final olímpica de 2016, no Rio.

Além deles, também foi interessante a atuação de Francisco Barreto, que por pouco não alcançou uma final no cavalo com alças, terminando em 11º lugar.

A final por equipes está marcada para segunda-feira (29), a partir das 10h.

Feminino estreia domingo

Com uma equipe renovada, de média de pouco mais de 18 anos de idade, a seleção feminina do Brasil estreia no Mundial de Doha no domingo (28). O time disputará a subdivisão 9, ao lado de Rússia, Grã-Bretanha, Turquia e Dinamarca, a partir das 7h30 (horário de Brasília).

Veja também:

Brasil define equipe para o Mundial de ginástica artística 
As pequenas guerreiras da ginástica americana deram uma lição de coragem 
O calendário 2018 do esporte olímpico



MaisRecentes

Melhor do Brasil em 2018, revelação aposta em sucesso do golfe para Tóquio-2020



Continue Lendo

O ‘não’ de Calgary para Olimpíada de 2026 é mais um tapa na cara do COI



Continue Lendo

Os segredos de Jésus Morlán para reinventar a canoagem do Brasil



Continue Lendo