Brasil não consegue superar sua melhor campanha no Mundial de handebol



O grande objetivo da Seleção Brasileira no Campeonato Mundial masculino de handebol, na França, era conseguir seu melhor resultado na história. Faltou pouco para ter sucesso. A derrota para a Espanha no sábado por 28 a 27, pelas oitavas de final, foi a terceira seguida nesta fase na história do torneio.

Na segunda-feira (23), o site da Federação Internacional de Handebol (IHF) confirmou o ranking provisório do Mundial. Nele, o Brasil surge na 16ª posição, exatamente a mesma do torneio anterior, realizado em 2015, no Qatar. Pela campanha brasileira apresentada no torneio (em seis jogos, duas vitórias e quatro derrotas), resultado totalmente dentro do esperado.

Se serve de consolo, a campanha na França ao menos serviu para confirmar a supremacia da Seleção Brasileira nas Américas, tendo ficado à frente de Argentina e Chile, rivais sul-americanos. Mas ficou atrás do Egito, eterna pedra no sapato do Brasil em Mundiais.

Semifinalistas conhecidos

Com a definição nesta terça-feira (24) dos quatro semifinalistas e o encerramento da Copa Presidente (nome dado ao torneio de consolação do Mundial), já são conhecidas as posições do 5º ao 24º lugares. A Espanha, algoz do Brasil nas oitavas, foi superada pela Croácia por um gol (30 a 29) e terminou em quinto lugar.

A França, que com apoio de sua fanática torcida busca o sexto título, bateu a Suécia por 33 a 30. Na semifinal, na quinta (26), enfrenta a Eslovênia, que venceram o Qatar nas quartas (32 a 30). A surpreendente Croácia terá pela frente a Noruega, que venceu a Hungria por 31 a 28, nesta sexta (27).

Confira a classificação final do 5º ao 24º lugares do Mundial masculino:

5º) Espanha
6º) Suécia
7º) Hungria
8º) Qatar
9º) Alemanha
10º) Dinamarca
11º) Belarus
12º) Rússia
13º) Egito
14º) Islândia
15º) Macedônia
16º) Brasil
17º) Polônia
18º) Argentina
19º) Tunísia
20º) Arábia Saudita
21º) Chle
22º) Japão
23º) Bahrain
24º) Angola

Morten em Angola

Quando anunciou, em entrevista pelo Sportv, que não havia sido procurado pela direção da CBHb (Confederação Brasileira de Handebol) e não seguiria no comando da Seleção Brasileira feminina, o técnico dinamarquês Morten Soubak já tinha na verdade seu destino conhecido.

Os comentários de que ele trabalharia no handebol de Angola foram confirmados nesta terça-feira, após ele ter sido apresentado no começo desta semana como novo treinador da equipe feminina Primeiro de Agosto, que já foi cinco vezes campeã nacional e três vezes campeã africana. Pelo trabalho apresentado no Brasil, já é possível imaginar tempos de bons resultados para o Primeiro de Agosto.

VEJA TAMBÉM:

Veja quais foram todos os campeões no Mundial masculino de handebol 
Números e curiosidades do Mundial de handebol 
Com grupo conhecido, handebol brasileiro tenta se superar no Mundial da França 
Adeus de Morten Soubak é confirmado