Atletismo: Maurren Maggi brilha no Mundial e tenta recuperar tempo perdido



Há quase cinco anos, a saltadora Maurren Maggi era uma das maiores esperanças de medalha do Brasil para o Pan-Americano de Santo Domingo e para as Olimpíadas de Atenas no salto em distância e triplo. Mas em 2003 um rumoroso caso de doping, que teria sido causado por uma pomada aplicada após uma sessão de depilação, lhe rendeu uma suspensão de dois anos.

Passado o período de gancho, ampliado pelo tempo em que recuperou a forma física após o nascimento da filha Sofia, Maurren voltou às pistas e no ano passado conquistou o ouro no Pan-Americano do Rio.

Neste domingo, ao conquistar a medalha de prata no salto em distância no Mundial Indoor (pista coberta) em Valência (Esp), Maurren, de 31 anos, deu mais uma prova de que está recuperando a antiga forma. A marca de 6m89 lhe rendeu sua segunda medalha em mundiais indoor – a outra havia sido em Birmingham (Ing), em 2003 – e ainda o recorde sul-americano na distância.

Agora, ela só precisa saber dominar os nervos para não falhar na hora H, como ocorreu nos Jogos de Sydney-00 (quando sentiu uma lesão no momento de um dos saltos) ou nos Mundiais de 1999 e 2001, quando ficou em 8º e 7º lugares, respectivamente.



MaisRecentes

O incômodo silêncio dos atletas brasileiros



Continue Lendo

Hipismo ensaia novidades para Tóquio-2020. Até onde irá a revolução olímpica?



Continue Lendo

Saiba porquê o levantamento de peso corre risco de ser cortado das Olimpíadas



Continue Lendo