Então o “sonho olímpico” de Anderson Silva em 2016 já acabou?



Anderson Silva, ao lado do presidnete da CBTKD, Carlos Fernandes: sonho olímpico virou pó. Crédito: Divulgação/CBTKD

Anderson Silva, ao lado do presidnete da CBTKD, Carlos Fernandes: sonho olímpico virou pó. Crédito: Divulgação/CBTKD

Passou rápido, como um cometa decadente, o acalentado sonho olímpico de Anderson Silva em defender o Brasil no taekwondo, durante os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Suspenso preventivamente pela Comissão Atlética de Nevada, em razão de dois casos de doping durante sua luta contra o americano Nick Diaz, em janeiro, Silva surpreendeu a todos ao enviar uma carta para a CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo), manifestando seu desejo de poder participar das seletivas olímpicas para a equipe brasileira.

Mais surpreendente ainda foi a posição da entidade, através de seu presidente Carlos Fernandes, que não apenas recebeu com especial alegria a intenção do ex-campeão do UFC, de olho no fantástico retorno de marketing que a presença dele traria para a sua modalidade, como praticamente “rasgou” os critérios de formação da seleção olímpica.

Em uma patética coletiva, ele disse que o ranking olímpico, criado pela WTF (Federação Mundial de Taekwondo) justamente para classificar os atletas para os Jogos do Rio, seria apenas um dos critérios, e que Anderson Silva iria participar da seletiva, prevista para acontecer a partir de janeiro do ano que vem. E ainda falou que se sentia como se tivesse ganho um bilhete premiado da loteria, por poder contar com alguém do potencial de marketing de Anderson Silva.

>>> Primeira fase de vendas de ingressos para o Rio 2016 tem eventos já lotados

O caso provocou uma revolta generalizada entre lutadores, torcedores e até mesmo no governo federal.O secretário nacional da ABCD (Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem), Marco Aurélio Klein, me disse em uma entrevista exclusiva na época em que trabalhava no iG que considerava inaceitável  a possibilidade da presença de Anderson Silva nos Jogos do Rio. “O Brasil e a América do Sul recebem as Olimpíadas pela primeira vez e não é possível que tenha um movimento que dê guarida a um atleta suspenso que comprovadamente fez uso de substância proibidas duas vezes”, disse Klein.

Algumas semanas se passaram até que a história mudou de rumo radicalmente. Em entrevista para o Portal do Vale Tudo, Jorge Guimarães, conhecido como Joinho e que é empresário de Anderson Silva, descartou que seu cliente vá insistir em buscar uma classificação para o Rio 2016. “Essa questão da Olimpíada já foi descartada. O Anderson não vai participar de Olimpíadas. Ele agora está esperando o veredicto da Comissão Atlética, que deve estar saindo em breve. Estamos aguardando, vamos ver se vai haver punição e de quanto tempo vai ser”, afirmou o empresário.

A notícia não agradou muito Carlos Fernandes, da CBTKD, que de acordo com o site “Superlutas”, ficou irritado ao a saber das declarações do empresário de Anderson Silva. “Não recebemos nenhum contato do Anderson. Passamos alguns emails, mas ele não tem se manifestado. Em nenhum momento falamos que ele participaria das Olimpíadas, mas participaria do processo seletivo. Acho que o empresário dele errou nesse ponto. Mas ele não se manifestou diretamente para a Confederação. Para mim, é até uma surpresa. Acho que seria até mais ético se ele falasse isso direto com a Confederação”, afirmou.

Por vis tortas, aos poucos a justiça está sendo feita. Os Jogos Olímpicos não seriam o lugar mais apropriado para um atleta que é suspeito de ter se dopado duas vezes por anabolizantes e que só estaria usando o mega evento para encobrir seus próprios fracassos.