Almir Junior, uma esperança para a tradição brasileira no salto triplo?



O brasileiro Almir Junior é dono da segunda melhor marca do país no salto triplo (Crédito: Divulgação)

 

Ainda é muito cedo para qualquer tipo de previsão, mesmo as mais otimistas. Mas pode estar surgindo um nome para manter viva a tradição do Brasil no salto triplo. O mato-grossense Almir Junior, atleta da Sogipa (RS) venceu nesta terça-feira (13) um meeting indoor (pista coberta) em Lievín,na França. O mais importante, com a marca de 17,37 m, a melhor da carreira, ratificando a condição de líder do ranking da Iaaf (Associação das Federações Internacionais de Atletismo) nesta prova.

O mais importante é que esta liderança não é obra de um dia feliz em uma competição isolada. Almir vem mostrando uma constância em seus resultado, tanto que já havia saltado acima de 17 metros em outras três oportunidades. Na última quinta-feira (8), por exemplo, ele conseguiu 17,35 m na vitória do meeting de Madri (Espanha).

 

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga 

 

Quer um outro dado impressionante? Em competições indoor, Almir Junior tem a segunda melhor marca da história entre os brasileiros. Melhor que ele, apenas Jadel Gregório, que saltou 17,56 m em 2006. No mesmo ano, Jefferson Sabino havia saltado 17,06 m. Ou seja, 12 anos depois, surge um novo triplista brasileiro superando a marca dos 17 metros.

É bom lembrar que o mato-grossense de 24 anos nem era especialista em salto triplo. Treinado pelo técnico José Haroldo Loureiro Gomes, o Arataca, Almir Junior competia no salto em distância e salto em altura. Começou a competir no triplo em 2015 e no ano passado alcançou a melhor marca ao ar livre, 15,90 m.

Já classificado para o Mundial Indoor, que acontecerá em Birmingham (ING) em março, Almir Junior tem potencial para seguir a vitoriosa tradição brasileira no salto triplo. Assim como foram Adhemar Ferreira da Silva, Nelson Prudêncio, João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, e Jadel Gregório.

Sempre é bom ter cautela, mas um pouco de otimismo não faz mal a ninguém.

VEJA TAMBÉM:

Ressaca olímpica sem fim: maior equipe de atletismo do Brasil vai acabar este ano 
Com novo ranking, Iaaf inicia a modernização do atletismo 
Final histórica no salto triplo completa 47 anos 



MaisRecentes

Hora da parada técnica



Continue Lendo

Vem aí um novo ídolo do esporte brasileiro: Hugo Calderano



Continue Lendo

Dez mulheres olímpicas que deixam o Brasil orgulhoso



Continue Lendo