Melhor do ano no triplo, brasileiro encara rivais de peso no Mundial indoor



Almir Junior disputa seu primeiro Mundial indoor com chance de medalha (Crédito: CBAt)

A história brasileira no salto triplo poderá ter um novo nome em sua galeria de medalhistas neste sábado. Dono da melhor marca do ano em pista coberta na prova, Almir Junior entra como grande surpresa na lista de favoritos do Mundial de atletismo indoor de Birmingham (ING). Para isso, contudo, o atleta do Mato Grosso do Sul terá que superar, a partir das 16h08 (horário de Brasília), rivais poderosos na briga pela medalha de ouro.

Almir chegará com o respaldo de ter obtido as duas melhores marcas do ano no triplo, um 17,35 m em Madrid e depois 17,37 m em uma competição na França. Feito ainda mais impressionante por ser ele um atleta que começou a carreira no salto em altura e há 18 meses passou a se dedicar para valer ao triplo.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga 

Para conseguir chegar ao pódio do Mundial, como fez duas vezes Jadel Gregório (prata nos Mundiais de 2004 e  2006), Almir Júnior terá que superar adversários duríssimos. Quatro deles, inclusive, que já alcançaram uma marca melhor do que a do brasileiro na carreira.

Veterano de 41 anos, o italiano Fabrizio Donato, bronze no triplo na Olimpíada de Londres-2012, tem como melhor marca 17,73 m, mas faz tempo, em 2011. Nesta temporada, não superou os 16,94 m. Um rival que merece mais atenção talvez seja o americano Will Claye, de 26 anos. Medalha de prata nas Olimpíadas Rio-2016 e Londres-2012, Claye foi campeão mundial indoor em Istambul, em 2012, quando alcançou seu melhor resultado na prova (17,70 m). Na temporada, o americano já saltou 17,28 m.

Os atuais campeão e vice do triplo no Mundial indoor também aparecem como ameaça a Almir Junior. O chinês Bin Dong, de 29 anos, ouro no torneio de 2016, foi bronze na Rio-2016. Nesta temporada, não chegou a competir na temporada em pista coberta. Tem como melhor marca 17,41 m, obtida há dois anos. O alemão Max Hess, de apenas 21 anos e prata no último mundial, já chegou a saltar 17,52 m em 2017, mas este ano não passou de 16,84 m.

A lista dos rivais de peso para o brasileiro neste sábado completa-se com o experiente português Nelson Évora, de 33 anos. Ouro na Olimpíada de Pequim-2008 e do Mundial de Osaka de 2007, obteve 17,30 m na mesma prova em que Almir saltou 17,35 m. Seu melhor resultado no indoor é de 17,33 m, obtido há dez anos.

Outros brasileiros em Birmingham

O sábado reserva mais duas chances bem razoáveis de medalha para o Brasil no Mundial indoor. No salto triplo feminino, Núbia Soares, a partir das 8 horas (horário de Brasília), disputará a final. Em 2017, ela era a quarta do ranking mundial mas uma lesão no pé a tirou do Mundial de Londres. Às 8h57, começará a final do arremesso do peso, com a presença de Darlan Romani. Ele tem a quarta melhor marca do ano na prova (21,68 m).

VEJA TAMBÉM:

Brasil estreia no Mundial de atletismo para não repetir pior campanha do século 
Ressaca olímpica sem fim: maior equipe de atletismo do Brasil vai acabar este ano 
Um ano de redenção para Thiago Braz? 
Almir Junior, uma esperança para a tradição brasileira no salto triplo?



MaisRecentes

As homenagens à Jaqueline Silva e Geraldo Bernardes no Prêmio Brasil Olímpico



Continue Lendo

Volta de Robert Scheidt seria excelente para a vela do Brasil



Continue Lendo

Sonho olímpico dos e-sports fica mais distante após reunião no COI



Continue Lendo