A cirurgia de Thaísa e os problemas da seleção feminina de vôlei



A central Thaísa só deverá voltar aos treinos em setembro

A central Thaísa só deverá voltar aos treinos em setembro. E para a seleção, quando volta?

O fato de já ter vaga assegurada por ser a sede das Olimpíadas do Rio 2016 serviria para dar ao técnico da seleção feminina de vôlei, José Roberto Guimarães, a tranquilidade necessária para aproveitar a temporada de 2015 e acertar o time para o grande desafio, no ano que vem, em busca do inédito tricampeonato olímpico. Por isso, tanto o Pan-Americano de Toronto 2015, quanto o Grand Prix, serviriam como um laboratório prático para o treinador. Só que os planos mudaram.

Primeiro, com o pedido de dispensa da levantadora Fabíola, que atua no Dinamo Krasnodar, da Rússia. Ela alegou motivos pessoais para não atender ao chamado de Zé Roberto. Só como curiosidade, ele foi cortada da seleção às vésperas das Olimpíadas de Londres 2o12, quando as levantadoras foram Dani Lins (titular) e Fernandinha).

Depois, a central Bia e a líbero Suellen, do Sesi-SP, não assinaram um documento exigido para participar do Pan-Americano e a comissão técnica entendeu como uma recusa à convocação. E Zé Roberto já sabia que não contaria com Sheilla e Fabiana, titulares absolutas da seleção, ao menos em Toronto, pois elas precisariam de um descanso.

Agora, vem mais uma notícia para tirar o sono do treinador: a central Thaísa anunciou que precisará passar por uma cirurgia nos dois joelhos e com isso só deverá voltar no final do ano. O ano de 2015 na seleção acabou para ela.

Quinta melhor bloqueadora dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, Thaísa é titular absoluta da seleção, mas vinha sofrendo com dores nos joelhos há dois anos. “Tem sido uma luta diária com muita fisioterapia para que consiga jogar e até fiquei de fora de algumas partidas no Molico e na seleção. Fiz exames e estou com uma ruptura parcial do tendão, causando dores e inchaços, me limitando demais”, explicou a jogadora, por meio da assessoria de imprensa do clube de Osasco.

Embora os médicos do clube estejam otimistas e já calculam que a jogadora voltará aos treinos entre setembro e outubro, o caso preocupa. Se uma cirurgia no joelho costuma ser complicada, o que dizer quando os dois joelhos precisam ser operados? Zé Roberto Guimarães precisará contar com sua habitual estrela para que a recuperação da gigante de 1,93 m seja a melhor possível.

 



MaisRecentes

Guerra das rodinhas: entenda a polêmica sobre o skate olímpico do Brasil



Continue Lendo

Voto popular no Laureus escolherá o Momento Esportivo de 2016



Continue Lendo

Los Angeles 2024 promete cerimônias em dois estádios. Veja o vídeo



Continue Lendo