Copa do Brasil vale pelo título ou pelo dinheiro? - incentivando_esportes

Copa do Brasil vale pelo título ou pelo dinheiro?



Texto César Latanze

Após quase um mês de paralização do calendário nacional, devido a disputa da Copa América de seleções, o futebol brasileiro está de volta e, neste meio de semana, os principais clubes já tem os confrontos de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

Esportivamente falando, o torcedor tem claramente sua ordem de preferência: Mundial, Libertadores, Brasileirão e finalmente a Copa do Brasil. Contudo, quando o assunto é dinheiro nos cofres, o cenário muda totalmente. O principal mata-mata do país distribui incríveis 280 milhões de reais ao longo do torneio. Apenas para os dois finalistas são distribuídos mais de 70 milhões. A diferença para o Campeonato Brasileiro é gigantesca, pois se somarmos a premiação de todos os 20 clubes participantes da Série A, chegaremos ao valor de 64 milhões de reais.

Dona dos direitos comerciais da Copa do Brasil até 2022, a Klefer é a responsável por captar os patrocinadores da competição, que hoje são mais de dez, além da Continental Pneus, que pelo quarto ano consecutivo, é a dona dos naming rights. Muito desde envolvimento dos patrocinadores deve-se a exposição de mídia garantida pela TV Globo, Sportv e GloboEsporte.com, principais plataformas da maior emissora de comunicação do país.

Essa supervalorização monetária do torneio é vista dentro de campo. É frequente ver treinadores priorizando as partidas, poupando atletas e pouco interessados no Campeonato Brasileiro assim que garantem o título no mata-mata, uma vez que as finais da Copa serão disputadas no final de setembro. Responsável pelo desenvolvimento do futebol nacional, a Confederação Brasileira de Futebol deveria se preocupar em gerir melhor suas competições, dando equilíbrio financeiro e fortalecendo seus produtos, pois o torcedor acaba sendo o grande prejudicado com esta situação.

A realidade é que, mesmo faturando muito dinheiro, com crescimentos quase exponenciais a cada ano, os clubes nacionais estão mergulhados em uma interminável crise financeira e recheados de dívidas. Os dirigentes de clubes estão mais preocupados em diminuir o déficit financeiro de suas administrações incompetente, do que levantar taças e proporcionar alegria aos seus torcedores, razão principal da existência de um clube de futebol.

César Latanze é especialista em marketing esportivo e colunista da Incentivando Esportes

Siga as nossas redes sociais no Facebook /IncentivandoEsportes e Instagram @IncentivandoEsportes

FOTO: Reprodução Facebook @copadobrasil

 

Comments

comments



Cancelar Resposta

MaisRecentes

Outro Mogi Mirim



Continue Lendo

Esporte Feminino driblando a realidade



Continue Lendo

Seja constante



Continue Lendo