Jô é o jogador com mais participações em gols no Brasileirão



Jó soma quatorze participações no Brasileirão. Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Jó soma quatorze participações no Brasileirão. Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

 

Levando em consideração a participação efetiva em gols no Brasileirão, o atacante Jô é o jogador que mais se sobressai neste quesito. Com 11 gols e 3 assistências, o corintiano assegura o recorde com três participações a mais que Henrique Dourado e Lucca, que dividem a segunda posição do ranking.

Outro destaque fica por conta do atacante santista Bruno Henrique, que soma 10 participações, sendo 4 gols e 6 assistências em 15 jogos. Confira o ranking:

 

Os jogadores com mais participações em gols no Brasileirão:

 

1 – Jô (14 participações em gols)
Gols: 11
Assistências: 3
Número de jogos: 19
Influência em gols do Corinthians: 44%

2 – Henrique Dourado (11 participações em gols)
Gols: 10
Assistências: 1
Número de jogos: 14
Influência em gols do Fluminense: 38%

Lucca (11 participações em gols)
Gols: 10
Assistências: 1
Número de jogos: 18
Influência em gols do Ponte Preta: 55%

4 – Bruno Henrique  (10 participações em gols)
Gols: 4
Assistências: 6
Número de jogos: 15
Influência em gols do Santos: 45%

5 – Luan (9 participações em gols)
Gols: 5
Assistências: 4
Número de jogos: 15
Influência em gols do Grêmio: 26%

André (9 participações em gols)
Gols: 9
Assistências: 0
Número de jogos: 17
Influência em gols do Chapecoense: 30%

Arthur (9 participações em gols)
Gols: 4
Assistências: 5
Número de jogos: 18
Influência em gols do Sport Recife: 38%

8 – Roger (8 participações em gols)
Gols: 6
Assistências: 2
Número de jogos: 16
Influência em gols do Botafogo: 38%

Thiago Neves (8 participações em gols)
Gols: 6
Assistências: 2
Número de jogos: 16
Influência em gols Cruzeiro: 38%



MaisRecentes

Quais são os clubes com mais jogadores campeões da Copa do Mundo?



Continue Lendo

Operários de patrocinadora da Juve farão greve por causa de Cristiano Ronaldo



Continue Lendo

Entre mundiais, Brasil manteve o técnico apenas uma vez na história



Continue Lendo