A volta de Ramon ao Vasco



Ramon retorna ao Vasco após seis anos (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Ramon retorna ao Vasco após seis anos (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Nunca é bom chegar em um lugar já tendo que pedir desculpas. É como sentar no bar já justificando para o garçom o porre e o copo quebrado.

Me faz lembrar um padre que, em uma celebração de Bodas de Ouro que fui, dizia que a chave para uma relação duradoura era pedir perdão. Sempre. Ao acordar e antes de dormir. Só pra garantir.

Como se fosse um crédito acumulativo. Ou uma forma de prevenção.

Ramon chegou assim ao Vasco. Ou melhor, retornou. Certo ou errado, se desculpou pelo o que disse após a primeira passagem por São Januário. Talvez até pelo o que pode vir a fazer, caso não dê certo a volta.

É possível que tenha sido o primeiro jogador da história apresentado em uma espécie de confessionário. Uma imagem frontal, chapada, em local fechado, um papo a dois, mas só com uma pessoa mostrando o rosto, mais ninguém.

Quase um vídeo íntimo.

Normal a reação de parte da torcida vascaína que se sentiu traída quando o lateral se declarou flamenguista. Mas só se sente traído quem um dia amou.  Ou ao menos se apaixonou, ainda que por uma noite.

Assim como compreendo um jogador que é xingado e vaiado ficar magoado com a arquibancada de um time que passou a ser rival. Mas isso tem mais haver com relacionamento do que com futebol.

Como a história já nos mostrou algumas vezes, nada como uma sequência de boas atuações para os lados se reconciliarem. Ou entrarem em litígio definitivo.

E isso só se resolve em campo.

Ramon não é um fora de série, mas chega para uma posição carente no Vasco. Henrique ainda alterna bons e maus momentos como titular, enquanto que Alan Cardoso foi muito mal em sua última apresentação.

O novo contratado também não é garantia de solidez na posição, mas já mostrou mais futebol que os dois concorrentes durante sua carreira. É uma aposta com fundamento.

Na Turquia, o jogador atuou algumas vezes como meia ofensivo, ocupando a faixa esquerda. Inclusive em sua última partida pelo Antalyaspor, no fim de maio, quando marcou um dos gols na vitória por 3 a 0 sobre o Kasimpasa, fez esta função.

Neste caso, Ramon pode ser uma peça para suprir inclusive a ausência de Kelvin, que não atuará mais esse ano em razão de uma grave lesão no joelho.

Nenê hoje ocupa o lado esquerdo de ataque, mas Mateus Vital não tem rendido centralizado. A volta do camisa 10 para o meio e a entrada do recém-contratado pela ponta pode ser também uma opção para Milton Mendes.

Com ou sem perdão das arquibancadas, Ramon é jogador do Vasco novamente. Terá seis meses para apagar os últimos seis anos. E precisará de mais que 30 segundos em vídeo para fazer isso.

Alguns bons minutos em campo já podem mudar este cenário.



MaisRecentes

O voo do Vasco



Continue Lendo

Pikachu se torna o 3º maior artilheiro do Vasco na história da Libertadores



Continue Lendo

Ríos assume a liderança do Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo