Vasco precisa entender seu desafio



Luis Fabiano ainda não embalou no Vasco (Foto: Wagner Meier/Lancepress)

Luis Fabiano ainda não embalou no Vasco (Foto: Wagner Meier/Lancepress)

Nenhum torcedor em ‘sã inconsciência’ é capaz de assumir que seu clube entra em um campeonato com o objetivo de não cair. Por mais que saiba, não sentará na mesa de um bar para discursar sobre isso. É como reconhecer a desconhecidos que seu filho não terminará a faculdade, antes mesmo dele ter feito o vestibular.

Que defenda em público e sofra em confidência. É natural.

Porém, entender que não será fácil é o primeiro caminho para tentar surpreender e não se frustrar. Mais uma vez.

A consciência da dificuldade traz também a necessidade do aprimoramento.

Por mais que o discurso que vem de dentro do Vasco tenha um otimismo já conhecido, de que o time ‘brigará nas cabeças’ e que o objetivo é ‘conquistar uma vaga na Libertadores’, o desempenho recente, a montagem do elenco – que perdeu mais peças do que ganhou após o Estadual, que já foi ruim – e o histórico recente na competição apontam para um outro lado.

Não se pode afirmar que as falas dos dirigentes e jogadores são mentirosas, afinal, o futebol está longe de ser uma ciência exata e tudo pode mudar em apenas um mês – vide o Botafogo do ano passado. Entretanto, é ilusório para o atual momento. Utópico.

Há um espaço grande entre onde o Vasco deveria estar e onde realmente se encontra. Querer que ele esteja no topo é diferente de colocá-lo lá. Não basta falar, tem que produzir.

O Vasco inicia o Campeonato Brasileiro, ao meu ver, na prateleira de baixo, entre os sete que brigarão contra o Z4, ao lado de Avaí, Atlético-GO, Bahia, Coritiba, Chapecoense e Vitória. Superar estes seis talvez seja o primeiro passo para estar mais próximo de onde gostaria.

É o que se desenha após quatro meses de bola rolando. Se será isso no fim, só saberemos o campeonato começar, neste fim de semana.

Que venha o Brasileirão!



  • Fernando

    Desculpe Garone, mas discordo completamente de voce. É verdade que o time do Vasco começa o campeonato com um time nao tão forte quanto o dos favoritos Palmeiras e Corinthians, mas a meu ver o time do Vasco não é em nada inferior aos times do Avaí, do Atletico Goianiense, do Curitiba, da Ponte Preta, do Bahia, da Chapecoense, do Vitoria, ou mesmo do São Paulo. Julgar o Vasco como candidato a rebaixamento comparado a estes times, é forçação de barra da imprensa anti-vascaina. Mas nós Vascainos já estamos acostumados com isto, não é? Grande abraço.

    • Alessandro Louzada

      Mas ano passado tb tinhamos time superior e olha o que aconteceu? Futebol é jogado e português é falado. Confesso que estou em cima do muro, Milton tem menos de 2 meses como treinador, mas ja fez bem mais que Cristovao e Jorginho JUNTOS. O que Garone quis dizer, é que antes de querer brigar por uma Libertadores, devemos ao menos escapar do rebaixamento. Vasco tem time melhor que esses candidatos a rebaixamento, mas no futebol nao existe nada exato.

      • Fernando

        Mas Alessandro, o que aconteceu foi que o Vasco se classificou para a serie A, o objetivo foi atingido! Se em melhor ou pior grau, é outra historia. Concordo com voce, o Milton com menos de 2 meses deu uma outra cara ao time, e é baseado nisso que acredito que o time vai fazer um bom campeonato, e creio ter condiçoes de mais do que escaper do rebaixamento. Lembro claramente de 2011 quando o time estava muito mal no começo do ano, e acabou conquistando a Copa do Brasil. Vejo tambem muita gente em situação igual ou até pior que a do Vasco (São Paulo, por exemplo) mas que não é citada como “candidatos” ao rebaixamento.

        • Alessandro Louzada

          Sao Paulo nao tem metade do nosso passado meu jovem Fernando. Vasco ano passado e Palmeiras nesse começo de temporada provam que nao adianta ter elenco superior aos demais na competição X, como eu ja disse, futebol é jogado. Vasco se classificar pra Serie A, é obrigação amigo, assim como subir CAMPEAO, Vasco subiu no sufoco. Esse ano iremos sim brigar pra nao cair. Espero que isso se resolva no primeiro turno para que no segundo possamos jogar com tranquilidade e beliscar uma liberta.

    • João Paulo

      Mas e o desempenho do time?

      Vasco não tinha um dos 4 piores elencos quando foi rebaixado em 2015, o Inter tinha um bom elenco e foi rebaixado mesmo assim.

      A pressão da torcida e da imprensa em cima de times grandes é muito maior do que nos times pequenos/intermediários. Nem sempre o melhor elenco ganha.

      E nem isso o Vasco tem. O elenco é no máximo razoável, mesmo que no papel, aparentemente, pareça melhor do que de outros times, mas não é grande coisa.

      Nenê vem caindo de desempenho, Jean é no máximo esforçado, temos dois zagueiros medianos, que até ontem eram reservas, e contrataram Paulão que não resolve em nada, LF ainda não mostrou a que veio, Wagner, Escudero e Muriqui pelo visto vão demorar um ano até entrarem em forma e se readaptarem ao futebol brasileiro. Os únicos que não estão vivendo de lampejos e estão jogando bem seguidamente é o Martin e o Douglas, é muito pouco para a disputa do Brasileirão.

      Enfim, espero que eu erre muito mas até que se prove ao contrário, o Vasco é sim um dos candidatos a Série B de 2018.

    • André Schmidt

      Desculpa, Fernando, mas acho que você interpretou errado o texto. Eu cito de forma bem simples que o Vasco está ao lado destes times que você citou, ou a maioria deles, não abaixo como você comentou. Você pode até discordar de onde está o time, mas em momento algum falei que estava abaixo de todos, mas no nível dos que brigarão do meio pra baixo. Abraço.

  • Dirceu

    A verdade é que, para nós torcedores, é muito difícil se colocar de lado a paixão e o desejo, e analisar-se friamente a realidade de nosso time.
    Tudo isso faz com que a vontade de ver o que se espera, se torne maior que a projeção lógica daquilo que já foi visto.
    Assim, afastando-nos da posição de torcedor, e nos fixarmos as últimas apresentações do Vasco, que, contra os grandes times, não conseguiu mostrar em campo, todo o potencial que julgávamos capazes nossos jogadores, ficam um time ainda em formação e um elenco de média qualidade.
    Se analisarmos nossos jogadores e os compararmos com os dos principais clubes da série A, chegaremos a conclusão que não temos os recursos humanos que se comparem com os dos reais postulantes ao título. Isto é uma verdade.
    Nossa expectativa se repousa assim, na perspectiva de um rápido encaixe tático da equipe como um todo, e no surgimento de novos valores, que nos surpreendam positivamente, vindos das divisões de base ou de alguma contratação de última hora.
    Vejo que precisaremos nos apoiar em um esquema tático eficiente, que faça a equipe trabalhar em conjunto, minimizando a falta de valores individuais de maior qualidade.
    Consciente de nossas limitações, precisamos dar todo apoio ao nosso técnico e acreditar que ele consiga dar ao Vasco o conjunto cuja força compense as nossas deficiencias individuais, e esperar que tenhamos um ano menos estressante, e nos colocarmos nas posições intermediárias da tabela, preparando a base para um time bem mais forte em 2018.
    Esta é a nossa realidade, o querer mais dependerá sempre do imponderável.

  • Luciano Silva

    Na minha opinião comparando , o elenco do Vasco apesar de limitado supera o do Botafogo e a garotada que subiu não devem em nada a do Fluminense . O negócio é encaixar um esquema que de certo e que seja de acordo com as limitações ditas acima , como fez o Jair Bragança no Botafogo , que pelo elenco limitado fez um 4-3-1-2 (com três volantes) que deu certo .
    O time hoje nesse esquema teria que ser : M. Silva/ Gilberto/Rafa/Ricardo/Henrique///Jean/Gallo(Cosendey)/Douglas/Wagner (Nenê ou Guilherme)////Kelvin(Paulo Vitor) e L. Fabiano. S.V

  • Marlon Britto

    Vasco: Elenco muito limitado. Não ganhará nenhuma fora de casa e não soma nem metade dos pontos em casa. Rebaixado em Dezembro. PONTO #PartiuSibéria.

  • Marcelo Oliveira

    Escrevo esse comentário após a derrota vascaína e, estou temeroso. O Milton Mendes teve tempo de sobra para colocar o time do jeito que queria e o que a viu em campo foi um bando sem noção, sem coragem, sem iniciativa e sem ofensividade. Temeroso e tenebroso, não há nada que lembre um mínimo que se assemelhe a um grupo de futebol. Pra você ver a atitude do time, o Felipe Melo nem recebeu o seu costumeiro cartão amarelo. Se não montar um time competitivo urgentemente, tentar levar a serei A só com garotada e “idosos” sem vontade de jogar, vamos cair de.novo.

MaisRecentes

O infeliz dorme aos 45



Continue Lendo

Vaivém cruzmaltino: Vasco empresta três jogadores



Continue Lendo

O Vasco sem Nenê



Continue Lendo