Vasco já sabe o que lhe espera em 2017: dificuldades



Ederson como centroavante, não tem rendido bem (Foto: Daniel Vorley/AGIF)

Ederson como centroavante, não tem rendido bem (Foto: Daniel Vorley/AGIF)

Era a chance do Vasco mostrar em que ponto, em qual nível, estaria se estivesse na Série A atualmente. E pelo o que foi visto nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, não seria muito longe de sua posição atual. Ou seja, fora da elite.

Jorginho teve a oportunidade de mostrar que consegue sair do óbvio que são os confrontos da Série B, onde quando não dá na tática, arranca-se pontos no individual. E não conseguiu. Na Série A é preciso mais que isso, e o time não mostrou nada de novo.

Demasiadamente recuado e lento na saída de bola – como se o relógio corresse mais rápido quando o passe é lateral -o Vasco aceitou a posição de zebra contra o Santos. Entrou em campo para empatar, achando que seria possível segurar o Peixe apenas no toque de bola, uma das especialidades da equipe de Dorival. Obviamente não deu.

O Vasco foi para jogar como time pequeno. E perdeu com tal. Ao menos até o momento que o Santos abdicou de jogar para manter o placar.

Quantas vezes o Santos acelerou o jogo, foram quantas chegou com perigo. Seja em chutes de fora da área, triangulações pelas laterais ou cruzamentos para Ricardo Oliveira. Tudo que não fazia o ataque vascaíno, disperso de todo o resto do time.

Três minutos e Martin Silva salva o chute no ângulo de Lucas Lima. Dez corridos e Ricardo Oliveira perde sozinho. E o passeio se desenhava. Aos 30 abriu a porteira e assim foi até meia fazer o terceiro e fechá-la.

Havia sido assim também no Brasileirão 2015, quando o Santos perdeu um caminhão de gols. Na ocasião, por sorte – também conhecida como Martin Silva -, o placar ficou em apenas 1 a 0, em gol de falta de Victor Ferraz. Mas a supremacia foi idêntica.

Quando decidiu se colocar um pouco mais no campo de ataque, o Vasco teve chances de marcar, mas o placar já anotava 2 a 0 para os paulistas. Nada fora do comum: o Santos joga e também deixa jogar. Não à toa Vanderlei é o goleiro com mais defesas no Brasileirão. Mas Ederson e Andrezinho não souberam aproveitar.

Tremeram na hora de balançar. E esses ‘detalhes’ na hora de decidir que mudam a temporada de um clube. Mudariam se tivessem marcado.

Mais do que o placar de 3 a 0, preocupa a forma como os donos da casa controlaram as ações, acelerando e cadenciando o jogo ao seu bel prazer. Enquanto o Vasco aceitava passivamente. Até quando teve maior posse, foi quando o Santos, com o placar já montado, passou a se poupar em campo.

Ops, 3 a 0 não,  3 a 1. Enquanto eu escrevia, Eder Luís diminuiu. Muda tudo para o jogo de volta da Copa do Brasil, mas nada sobre o futebol apresentado, esse sim interessante para a continuidade da temporada e do próximo ano.



  • Breno

    Enfim. Tenho que acreditar. SJ

  • Edno Costa

    Torci pelo Vasco mais ninguém ganha do Santos com esse que tá ai na Vila.

  • Sergio Henrique Diniz Faray

    Futebol medíocre e previsível! Passamos 10 dias em treinamento e nenhuma mudança! Colocar William aberto na ponta direita, queima o jogador e atrapalha o time! Madson e Jorge Henrique tem que sair do time titular com urgência, são improdutivos ofensivamente! Jorginho peca pelo contunuismo e má fase de Nenê que não está mantendo os níveis de atuação do início do ano

  • Racional

    Garone, Jorginho fez o que podia. Jogar de peito aberto contra o Santos na Vila é suicídio. Ele colocou o time fechado para encaixar bons contra-ataques e numa bola ou outra conseguir o(s) gol(s). Mas para esse esquema dar certo é preciso, e muito, uma boa saída de bola dos volantes. E estes jogaram muito mal. O gol no fim foi um alento. No próximo jogo, o jogo da volta, a diretoria deveria realizar uma promoção de ingressos, para S. Januário ficar lotado. Vai ser com certeza um jogo muito difícil. O Santos com sua molecada vocacionada para o ataque vai criar dificuldades. Acredito que será um jogo de muitos gols. Mas no embalo da torcida as coisas podem ficar mais fáceis. Têm que acreditar porque é a chance do Vasco que têm um bom time, mas que não têm um bom elenco passar à próxima fase.
    E a Copa do Brasil na sua história já foi conquistada por times bem ajustados ainda que carentes de elenco.
    Abçs.

MaisRecentes

Artilheiro da Florida Cup, Nenê já abre vantagem no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Um Vasco mais simples e uma vitória para o moral



Continue Lendo

Escudero é regularizado pelo Vasco



Continue Lendo