Um Vasco entre a cerveja e o vinho



Vasco de 2017 aos poucos vai se acertando (Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco)

Vasco de 2017 aos poucos vai se acertando (Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco)

Nem tudo que nasce torto não se endireita. Seja pau ou pedra, não é o fim do caminho. Sempre o meio. Assim como o amanhã que quando chega já é hoje. É recomeço.

Reinícios que buscam Jean, Kelvin e Gilberto no Vasco. Recomendados por Cristóvão, responsável por remendar os buracos expostos nos últimos anos.

Não é fácil. Nem será ágil. Mas tem sido. E isso já é algo.

Está em movimento algo que parecia estagnado. Estão enganados aqueles que não viram que ele se move.

Contra o Santos do Amapá, o Vasco não apenas venceu, jogou bem. E poderia ter goleado, se não fosse a fabulosa falta que faz um centroavante gabaritado à frente. Finalizou 20 vezes e foi vencer com dois de pênalti.

Talvez para deixar ainda mais mentiroso o VT com os gols da rodada, uma espécie de vídeo de receita de bolo onde só o mostra pronto na mesa. Quem assistiu tudo, consegue imaginar o quão bom poderá ficar se montado sem pressa, com carinho, na pressão certa.

Quem só viu pronto, não faz ideia nem do recheio.

Ainda não foi constante, como uma garrafa de vinho que, ao chegar à mesa, repousa por lá sem pressa, com um paladar marcante independente do clima. Reconhecível de qualquer ângulo. Não foi assim.

O time oscilou – até pela facilidade que a partida se mostrou -, como uma cerveja que chega gelada, esquenta, fica meio morna e o sabor varia. Alternando a cada nova lata, em cada mudança de temperatura.

Ainda assim, foi refrescante.

Quem já sofreu com Celsius – Roth -, hoje vê esperança em Kelvin. Escalas diferentes para voos parecidos.

E o Vasco aos poucos se endireita.

Pela direita, onde Pikachu e Guilherme Costa criaram as melhores chances no 1º tempo. No mesmo lado, onde Kelvin e Gilberto incendiaram no 2º. Todos eles protegidos por Jean, que diversas vezes se posicionou como 3º zagueiro para liberar ainda mais os laterais.

Quando o time de Cristóvão quis jogar, sobrou. Quando tirou o pé, diminuiu, mas nada faltou.

Gilberto mostrou que é possível levantar a cabeça na linha de fundo. Jean, por sua vez, deu sinais de que não baixa a cabeça por nada. Nem pra ninguém. E a cabeça de Guilherme segue em dia. Pensando cada vez mais rápido. Como Kelvin.

Foi apenas o Santos do Amapá. Mas foi tudo dentro do normal.

E é esse equilíbrio que o Vasco busca: a constância de uma taça de vinho, com a refrescância de uma tulipa gelada de cerveja.



  • Homero Camargo Nascimento

    Texto perfeito!
    O esboço está quase pronto!

  • Jose Ferreira

    Por favar não entrem nesse clima de Cristovam, ele acha que tudo está bem por que ganhou do Santos (não sei da onde), se fosse o Ibis ainda acharia que foi um bom jogo. Querem que pensemos isso, quando pega grandes só perde.

  • Fabian Grutzmacher

    Descreveu com perfeição. Eu estava muito preocupado a poucos dias atrás, mas sejamos sensatos, esse time pode render muito mais. esta claramente em desenvolvimento e esta, na minha opinião a 30% do que pode apresentar. Na minha humilde opinião, teremos sim um grande time para o Brasileiro.

    • Edison Lopes

      Está correto, pode render muito mais.

  • Vinicius Leal

    O adversário era fraco, isso não há dúvidas, mas o volume de jogo e velocidade do time mudou muito com a saída dos veteranos, e isso não se pode voltar atras, o time com a média de idade mais baixa corre o dobro do time do ano passado.

  • JORGE LUIZ A BEZERRA

    Parece ~ tomara que não seja somente aparência ~ que poderemos ter um time finalmente. Peças ainda por se juntar ao elenco, outros aprimorando a forma e entrando no ritmo dos demais, e, sim, podemos sonhar com algo de bom em um ano que se mostrava tenebroso no seu alvorecer, mas que pode ser de certa forma, positivo, no seu crepúsculo! Aleluia! e Vamos torcer!

    • Edison Lopes

      Tô com você Jorge. Vamos acreditar, encher São Januário e torcer por dias bem melhores.

  • Vander

    Só de não ver aquele bando de sub40 se arrastando com lentidão irrritante e dando apenas chutões pra frente já foi um alento… os novos contratados, rápidos, querendo mostrar serviço, fazendo triangulações dão um pouco de esperança de um ano melhor… mas, vamos com calma, foi o Santos do AMAPÁ da 4ª divisão, vamos esperar vir outros clássicos no carioca, pra aí realmente podermos tirar uma análise mais embasada… ainda falta muita coisa nesse time, principalmente ZAGUEIROS E PELO MENOS UM ATACANTE FAZEDOR DE GOLS!!! (e pra mim também um TÉCNICO de verdade, Cristóvão não passa de um eterno auxiliar)

  • Edison Lopes

    Companheiros cruzmaltinos, gostei de todos os comentários, olha como é bom ver o time correr em campo, com uma postura já bem melhor defensivamente,se arrumando bem no meio de campo. Precisamos caprichar um pouco mais no arremate final. Vamos ter um pouco de paciência dar um crédito ao Cristóvam, esperar o Wagner e o Douglas entrarem no time, prá se fazer uma análise melhor.Eu já estou gostando dessa nova postura do teme.

  • Edison Lopes

    Posso até me enganar, espero que não; acho que o Kelvin vai escrever o nome dele na história do Vasco, e, vai brilhar muito nesse campeonato carioca.

  • Marcelo

    Pra mim, o erro do Cristóvão foi ter tirado o Talles quando ele arrumou o time com kelvin e gilberto…Muriqui ta longe de ser centro avante…

    • Ana Nascimento

      Concordo, poderia ter entrado com Muriqui, pra dar ritmo, mas tirado o Galo, pq jogar com dois volantes contra o time do Santos era pura covardia e falta de visão.

  • Marco Aurélio Amaral

    Está melhorando…parece-me com a entrada do Jean, Gilberto e Kelvin ja
    percebe-se um time mais rápido e não deixando o Nenê jogando sozinho. Tá certo que foi contra o Santos do Amapá, mas, se tivesse com aquele time lento do ano passado poderiamos até ter passado de fase, mas, ia ter sido sofrivel e com um futebol chato de se ver e irritante. Só acho o Luan muito inseguro e fraco na defesa, falha muito e tem a mania de se mandar lá pra frente e dar uma de centro avante e quando perde a bola arma contra ataque pro adversario como foi contra o fluminense.

  • Jefferson Lucas

    Martin
    Gilberto
    Luan
    Rodrigo
    Henrique
    Jean
    Douglas
    Nenê
    Muriqui
    Kelvin
    Fabuloso

  • Louie Antonio

    Martin
    Gilberto
    Luan
    Rodrigo
    Henrique
    Jean
    Bruno Paulista
    Wagner
    Nenê
    Fabuloso
    Kelvin

MaisRecentes

Em enquete, Anderson Martins é eleito o melhor do Vasco em campo pelo segundo jogo consecutivo



Continue Lendo

Artilheiro do Vasco no ano, Nenê dispara na liderança do Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

O drible de PV, o gol de Nenê e o 0 a 0 que balançou as redes



Continue Lendo