Thiago Neves seria o reforço ideal, mas o Vasco precisa definir seu futuro primeiro



Fluminense foi o último time de Thiago no Brasil (Foto: Paulo Sérgio/Lancepress)

Fluminense foi o último time de Thiago no Brasil (Foto: Paulo Sérgio/Lancepress)

O Vasco precisa de reforços para todos os setores. Porém, é a criação uma das principais fraquezas da equipe.

Desde a série invicta e o título carioca que o time cruz-maltino produz pouco ofensivamente, quase sempre dependendo de uma bola parada. A chegada de Thiago Neves, do Al-Jazira, mudaria este cenário.

Interesse antigo do clube, o meia ajudaria a tirar o peso da articulação de Nenê. O atual camisa 10, aliás, poderia ser adiantado para o ataque, como muitas vezes foi utilizado com Riascos, no melhor momento do time, abrindo espaço para Thiago ser o armador da equipe.

Com Thiago Neves, o Vasco ganharia não apenas mais um meia, mas um novo atacante: Nenê.

Porém, apesar do interesse na contratação, o clube precisa definir outra coisa sobre o seu futuro: o acesso. E isto poderá ser decisivo para a vinda do jogador. E de outros.



  • Dirceu

    Aslan, Diguinho, Julio dos Santos, Rafael Marques, Felipe Gabriel, Leandrão, Jorge Henrique, Éder Luiz(voltou); alguém imagina que alguns desses tem qualquer condição de estar em um time que possa disputar o campeonato brasileiro da série A? Evidentemente que não.
    Isso nos mostra que a atual gestão do Vasco, juntamente com seu técnico, jamais fez qualquer planejamento para 2017.
    Para o corrente ano, deveríamos ter tido duas metas claras: a classificação para a série A, como campeão; e a formação de um time base, que com três ou quatro contratações, pudesse atingir um bom nível técnico, o suficiente para não corrermos novo risco de rebaixamento em 2017.
    Com isso, poderíamos ir, pouco a pouco, crescendo nosso programa de sócios, ao passo que daríamos ao clube uma gestão profissional, competente e transparente, e sanando as pesadas dívidas do passado, para que em 2018, pudéssemos a disputar verdadeiramente o campeonato nacional.
    Sabemos que os recursos financeiros eram escassos e, portanto, exigiria-se uma administração muito mais eficiente e criativa.
    Dentro das conhecidas restrições orçamentárias, o mais lógico teria sido mesclar jogadores experientes com jovens promessas da base e de outros times menores. No entanto, essa diretoria só nos trouxe, basicamente, velhos jogadores, todos eles rejeitados pelos grandes clubes e em final de carreira. E o nosso técnico, bom de papo, mas fraco e divorciado daqueles objetivos maiores, apostou na “segurança” e, sempre, preferiu montar seu time, totalmente com os seus aposentados atletas. De verdade, jamais deu as chances necessárias ao Henrique, Alan, Andrey, Evander, Mateus Índio, Mateus Pet, Caio Martins, e outros.
    Portanto, mostraram, dirigentes e técnico, que nunca planejaram coisa alguma.
    De tudo isso, tiramos que nosso melhor reforço para a próxima temporada, seria o passamento de toda essa cambada de incompetentes, com os quais só poderemos esperar sofrimento e decadência.
    Que a interferencia divina nos livre de todos esses maus, amem!

    • Alessandro Louzada

      Concordo com tudo que foi dito, mas é complicado planejar o ano de 2017 sendo que 2016 estamos na Serie B. Jorginho nao deu SEQUENCIA pra Evander, Pet, Alan, Andrey e Caio MONTEIRO, Chance ele deu a todos, mas nao sao todos que fazem uma estreia como Douglas fez, alguns precisam de sequencia, segurança, confianca do treinador e Jorginho nao deu a nenhum deles.

  • Alessandro Louzada

    Fico pensando algumas coisas.
    Na serie invicta, Nene era ponta, caia pela esquerda e pela direita, Andrezinho vinha com liberdade por tras, Julio dos Santos fazia o corredor pra Madson conseguir correr e cavar penalti ou falta na linha de fundo, Mattos era o cao de guarda.
    Time precisou se reinventar pois ja estava manjado, foi testado inumeras formaçoes e varios jogadores em varias posiçoes, nao deu certo!
    Douglas despontou como um otimo segundo volante/meia central, Jorginho recua Nene pra atuar como Armador junto de Andrezinho e nada se encaixa mais.
    Julio Cesar nao consegue sequer terminar uma partida, cansa ates dos 20min do 2º T e compromete todo lado esquerdo da defesa.
    Pq diabos o Jorginho nao efetiva Alan na lateral esquerda, recua DG pra volante ao lado de William, Andrezinho na armacao, Ederson, Thalles e Nene no ataque. Thalles é o unico que sabe fazer o pivo, jogar entre os zagueiros e abrir espaço pra infiltraçoes de Nene e Ederson virem com liberdade.
    Jorginho as vezes ate coloca o melhor em campo, mas passa a funcao errada, Nene nao pode jogar como armador pois nao temos mais ataque com mobilidade(tirando Ederson) é tao simples e obvio, mas parece que apenas Jorginho nao enxerga isso

  • Paulo Wagner

    O Vasco tem que parar com a mania de contratar jogadores acima dos 30, em final de carreira. A fórmula já levou a três rebaixamentos e vai continuar levando a mais rebaixamentos ainda. É preferível buscar reforços mais jovens, que corram e ocupem espaços, do que ficar na dependência de um lampejo de jogadores “velhos” que não aguentam mais a intensidade de um campeonato como o brasileiro. A queda de rendimento do Vasco, na minha opinião, tem duas razões: a saída de Riascos e a queda de preparo físico de um time envelhecido.
    Riascos, apesar de não ser craque, tinha uma disposição fora do comum para um time normalmente preguiçoso e que não aguenta a intensidade de uma partida inteira. E mais, como afirmado acima, ele se entendia muito bem com o Nenê e liberava o meia-atacante para jogar de uma forma que, hoje, ele não joga mais. O posicionamento do Nenê em mudou depois que o Riascos saiu e ele não rendeu mais o que rendia no segundo semestre de 2015 e no primeiro semestre de 2016.
    A queda de preparo do time é evidente. O segundo turno da série B é tão pífio que não sabemos se o time sobe ou não. Modestamente, acho que não sobe. E, em grande parte, acho que a culpa é do Jorginho por não ter percebido que alguns jogadores não podem atuar no Vasco (Diguinho e Aislan, por exemplo) e, por isso, representaram perdas de pontos importantes e que hoje fazem muita falta, e por não ter encontrado opções mais jovens para os jogadores envelhecidos do time. Achou o Douglas e, talvez, o Alan para a lateral esquerda. E só! O atenuante é que a base do Vasco (sub-20) é muito fraca e o seu treinador (Rodnei) é tão fraco quanto os jogadores. Mas alguns jogadores, como o Vitor Bolt, que está bem no Vila Nova e acabou com o jogo contra o Vasco, poderiam ter sido melhor aproveitados.
    Enfim, se continuar investindo em jogadores “velhos”, vai cair de novo. Ao longo da série B, o Vasco jogou contra times que possuem bons talentos individuais e que poderiam fazer um bom papel no Vasco. Só falta saber se vai ser na série A ou B.

  • Clovis Batalha

    A saída o único que sabia fazer o Pivô para chegada do meio campo e as vezes improvisava, dando oportunidade para o meio era o Riascos. O Thalles não faz o trabalho de pivô, apenas finaliza (ou tenta) o bom jogador Ederson é 2° atacante. A volta do ainda barato Riascos seria fundamental, com a chegada de algum bom meio campista. Considero a Defesa menos culpada, precisamos do Riascos ou outro atacante que resolva de fato. (Tardelli, L. Fabiano, A. Cardec outros)

MaisRecentes

Pikachu assume a 3ª posição no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Os celibatários da verdade



Continue Lendo

Pikachu ganha quatro posições no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo