Rafael Marques e a sobriedade defensiva



Rafael Marques marcou seu 1º gol pelo Vasco (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Rafael Marques marcou seu 1º gol pelo Vasco (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Há jogadores que, quando entram, alteram o padrão tático e/ou elevam o nível técnico do time. Porém, existem também aqueles que mudam o espírito da equipe. Rafael Marques, com Milton Mendes, tem tido esse efeito no grupo.

Não é dele a faixa de capitão. Sequer é o defensor com mais potencial individual. E nem precisa. A voz que mais tem sido ouvida em campo, entretanto, é a do zagueiro. Sem a necessidade de uma braçadeira ou garantias de titularidade, foi nos últimos jogos a sobriedade defensiva que o clube procurava.

Se era a postura o primeiro ponto a ser mudado, começou a transição após sua entrada.

Ninguém tem sido mais Milton Mendes em campo do que Rafael Marques. É dele a orientação das jogadas desde a sua saída até recomposição no contra-ataque adversário. De forma natural, sem euforia, se tornou o orientador, o maestro, defensivo de uma equipe que precisa ser direcionada a todo momento.

Um nome até então esquecido, que foi resgatado exatamente pelo treinador. Ainda que pelas circunstâncias.

Contra o Nova Iguaçu, neste domingo, até mesmo Rodrigo, acostumado a roubar os holofotes para si, foi mais discreto tendo o companheiro ao seu lado. Parecia que Marques era o dono da posição há longo tempo, não o camisa 3.

Rafael acertou todos os 29 passes que tentou*, marcou o gol que abriu o placar e conseguiu ainda um desarme e 8 rebatidas defensivas. E teria sido tão eficiente ainda que não deixasse sua marca. É esse o ponto principal de um zagueiro: a discrição.

Nem tão bom que possa errar por excesso de confiança, nem tão ruim que a falta dela o leve ao erro.

Nos últimos cinco jogos, onde Rafael Marques atuou os 90 minutos, o Vasco sofreu apenas 3 gols, sendo dois deles no clássico com o Flamengo, onde o time jogou o 2º tempo quase todo com um homem a menos. Contra Botafogo, Madureira e Nova Iguaçu, nada da rede ser estufada.

Mesmo tendo disputado apenas cinco partidas no Estadual, é o líder vascaíno em rebatidas*, com 55. Número que explica a evolução no jogo aéreo defensivo da equipe. E isso dá estabilidade.

O Vasco ainda não convence em campo. Parece sofrer da mesma síndrome de outros anos, onde demonstrava pouco interesse em duelos contra os menores, perdendo a oportunidade de afirmar seu futebol. Mas algumas novidades do técnico têm correspondido. Pikachu, autor do 2º gol, é outro.

Pequenos detalhes que separam o trabalho de Milton do de Cristóvão. Ao menos no que diz respeito à estrutura. E tem dado certo.

Algumas peças ainda não funcionam, como Luis Fabiano, por exemplo. As dobras nas pontas também não fluem como deveriam – tanto que Kelvin e Pikachu mudaram de lado durante o jogo. Ainda assim, consegue vencer, o que não vinha fazendo. Principalmente em razão do seu setor defensivo sofrer menos.

E muito disso graças a entrada de Rafael Marques, o novo titular vascaíno.

* Dados Footstats



  • Vander Vasco

    Rafael Marques vem surpreendendo positivamente mesmo, mas ainda não engulo a volta do Rodrigo… já deu… todos os problemas começam alí… a saída de bola lenta, só insistindo com chutões, SEMPRE começam com o veterano zagueiro… enquanto não contratarem pelo menos MAIS DOIS ZAGUEIROS BONS PRO BRASILEIRÃO, a dupla tem q ser R.Marques e Jomar e acabou!

  • Luciano Silva

    Rafael Marques até está me surpreendendo positivamente junto com o Henrique e o Jean , porém com o baixíssimo nível desse Campeonato não podemos nos iludir . Temos que contratar 1 lateral esquerdo e 2 zagueiros de bom nível para o Brasileirão , pois o Luan pode sair a qualquer momento . E o Rodrigo deveria ser dispensado pois não engana mais ninguém e faz tempo que não tem a mínima condição física de jogar futebol competitivo. SV

  • Alessandro Louzada

    Que exagero em Garone? Concordo que nao compromete, assim como Julio dos Santos vem fazendo, mas sao partidas que nao valem nem analisar. Ja esta mais do que provado, Estadual nao é parâmetro pra nada. Ou sobe de vez o Graça para os profissionais, ou contrata outro zagueiro, Rodrigo com 36 anos nao vai aguentar o ritmo do Brasileiro, Rafa Marques com 33 tb nao vai, se pegar um time leve como o do Fluminense, vamos tomar um baile daqueles.

    • André Schmidt

      Se Carioca não vale nada, o que estamos, eu e você, fazendo aqui? Só posso analisar os jogos que estão sendo disputados agora, ainda não estou trabalhando com bola de cristal. Rafael Marques foi bem também contra Botafogo e Flamengo, times que jogarão a Série A. Isso é parâmetro. E em momento algum falei que ele seria a solução definitiva para a zaga, apenas disse que melhorou o rendimento da mesma. Uma leitura com calma te ajudaria a compreender isso. Abraço.

      • Alessandro Louzada

        Nao foi ele que melhorou o rendimento da zaga, sistema defensivo é composto por meio e ate mesmo ataque. Antes os laterais nao tinham cobertura, DG corria errado e Jean ficava igual maluco perdido no meio. A zaga nao compromete como antes pois o MEIO esta compacto. Nao disse que Carioca nao vale nada, apenas que nao serve de parametro, fomos Campeões ano retrasado e ano passado, em um fomos rebaixados e no outro quase nao saimos da Serie B. Leitura com calma é o que EU te peço, Rafa Marques esta indo bem, assim como Jomar foi, DG esta indo, Jean também, Henrique idem, e ate o Pikachu esta em alta.

        • André Schmidt

          Sim, mas não é pq elogiei um jogador que estou ignorando os outros. Simplesmente escolhi ele para ser personagem da crônica do dia. Como todos os outros citados um dia foram (Pikachu, Douglas e etc). Mas sim, ele contribuiu sim para a melhora do setor defensivo. Inclusive tendo números individuais melhores que os antigos titulares. E é isso que mostro aqui. Por isso pedi a tranquilidade na leitura, está lá no texto, ele é o líder em rebatidas do time- normalmente cortes de cabeça em jogadas aéreas -, mesmo atuando pouco. Isso é um mérito individual e não coletivo. Assim como acertar todos os passes no jogo foi um feito individual, não coletivo. Assim como o gol também. Por isso, o texto de hoje, é sobre ele. Individual. A análise do coletivo você pode ler nos outros tantos textos que serão escritos durante a semana ou já foram publicados nas semanas anteriores. Abraço!

          • Fernando

            Garone, concordo com voce. A chegada do novo tecnico arrumou o time e esta oferecendo condiçoes para que as peças, coletiva e individualmente, evoluam. Vejo o time se preparando para chegar forte no Brasileiro. Para aqueles que criticam, fica a pergunta: Quem é que esta jogando esse futebol todo no pais este ano? um ou dois times se destacam, o resto é mais do mesmo.

          • Alessandro Louzada

            Sim, ele acertou todos os passes pois faz o simples, totalmente inverso o que Rodrigo faz, querendo dar lançamentos pitorescos. Mas o que eu quis dizer que Rafa Marques nao é o responsavel pela “boa fase” da zaga, Jean e DG merecem bem mais destaque do que ele por exemplo, Jean mais ainda. Comecou a correr certo, fazer menos falta, nao é atoa que é o lider em desarme, a bola chega menos a zaga, e quando chega ja tem uma cobertura, coisa que nao existia antigamente. Concordo quando diz que Rafa Marques tem numeros melhores do que Jomar e Rodrigo, mas o que eu quero dizer é que isso é um “fruto” de um meio campo acertado e compacto, nao é atoa que ate Julio atuando de zagueiro, teve otimos numeros. A zaga titular HOJE é Rafa Marques e Jomar, isso é indiscutivel.

  • Dirceu

    O time do Vasco ainda não acertou, mas já observamos uma evolução que não víamos há muito tempo.
    Não estão definidas as duplas que ficarão responsáveis pelas duas laterais, e é preciso manter os jogadores, para que o entrosamento aconteça, mas ainda não tivemos essa oportunidade.
    Na direita com Kevin e Gilberto parece ser mais natural, principalmente pela preferência do primeiro. Na esquerda temos o Henrique em evolução, mas precisamos de um meia que construa com ele as jogadas de ultrapassagem e triangulação com o ataque.
    De outro lado, como estamos bem com os nossos “volantes”, Jean e Douglas, o Milton precisa definir quem ocupará com o Nenê as três vagas do meio de campo.
    Com relação ao centro do ataque, mais uma vez reafirmo, que as atuações do LUIZ Fabiano tem sido um verdadeiro vexame. Ele não tem mostrado as condições físicas para jogar futebol em nível profissional. Suas participações nos jogos tem sido pífias, ridículas mesmo.
    O arriscado e caro investimento feito em sua contratação, faz com que se teime em provar, a sua acertiva, mas fica claro para todos que querem enxergar sem distorções, que ele não estaria atuando se não se chamasse Luiz Fabiano, o outrora “Fabuloso”.
    Hoje, parece ter lhe restado somente um fabuloso salário. O futebol de verdade está adormecido ou aposentado.
    E como não existem mais no mercado príncipes e princesas disponíveis, se o nada Belo não acordar logo, nosso comandante Milton terá que retirá-lo da cama, pois no futebol a realidade e os adversários sempre nos mostram, que o ditado: “Crie fama e deite-se na cama”, nunca funciona por muito tempo, mesmo que se use a braçadeira de capitão.

    • Fernando

      Concordo que esta sem ritmo e com deficiencias fisicas, porem em minha opinião está evoluindo, creio que é acertada a decisão de deixa-lo em campo para que adquira ritmo de jogo e condicionamento fisico. Aí sim, vai arrebentar.

  • Luciano Silva

    O Rafa Marques como disse anteriormente até ta indo bem , dá um bom reserva para o Brasileirão .Já pensando para frente , para tentar ficar entre os 16 clubes em colocação no Brasileiro , tem que trazer 1 GOLEIRO mais experiente , 2 ZAGUEIROS , 1 LATERAL ESQUERDO , 1 PRIMEIRO VOLANTE e 1 ARMADOR RÁPIDO . Tb tem que dispensar a última “leva” de jogadores do ” time de master” do ano passado que são RODRIGO , M. MATTOS , JÚLIO SANTOS e ANDREZINHO . E pode ainda emprestar o JORDI e JOMAR . Porém , como sabemos isso dificilmente vai acontecer , por causa da Família Miranda e os empresários que os acompanham no Vasco .

  • Paulo Wagner

    Acho que ganhou a posição. Entrou muito bem e não acho que deva sair. Na verdade, a melhor zaga do Vasco, hoje, teria ele e Jomar como titulares. Rodrigo deveria ir para a reserva, pois a cada jogo dá a impressão de que, realmente, não pode mais render o que o time precisa e o que a Série A exige.

MaisRecentes

Zé Ricardo e Milton Mendes, os antagonistas



Continue Lendo

Sub-20: Vasco contrata atacante de 19 anos que estava no Atlético-PR



Continue Lendo

A queda de Milton Mendes



Continue Lendo