Qual Eurico teremos de volta ao Vasco?



Eurico Miranda é o novo presidente do Vasco (Foto: Arquivo LANCE!)

Eurico Miranda é o novo presidente do Vasco (Foto: Arquivo LANCE!)

Falar de política, atualmente, é algo chato, que gera discussões que normalmente não terminam bem, cria inimizades e surgem rótulos a quem apoia fulano ou sicrano. Mas é impossível, no atual momento do Vasco, fugir disso.

Começo então dizendo que me recuso a ser um pessimista. Pra começar, pelo simples fato do clube ter novamente um comandante, já que Dinamite já havia abandonado esse barco há muito tempo. E isso é um avanço. Ninguém perde e nem ganha de véspera, e nem sempre o futuro repete o passado. O que teremos agora é uma nova gestão, ainda que com velhos conhecidos.

Prefiro deixar o barco começar a navegar para depois analisar. Erros do passado já foram cometidos, o que importa agora é o que será feito e isso só o tempo mostrará. Qualquer tentativa de prever algo seria leviano.

Me apaixonei pelo Vasco na década de 90, ainda muito criança, e com 14 anos já saia de Petrópolis sozinho para ir à São Januário acompanhar os jogos. Naquela época, o nome de Eurico Miranda era gritado nas arquibancadas como se fosse o camisa 10 do time. Deu problema? Chamem o Eurico, ele resolve. E resolvia.

Cada vez que eu abria o jornal e lia: “Eurico vai à Europa e pode voltar com novidades”, era certeza de que vinha coisa boa aí. Assim foi nas inúmeras passagens de Edmundo, com Juninho Paulista, Vágner, Zé Maria e etc…

Mas esse foi um Eurico, aquele que montou grandes times durantes as décadas de 80 e 90 e se engana quem diz que era ‘só’ um vice de futebol qualquer. Era mais do que isso e quem viveu o clube naquela época sabe disso, tanto que sua vitória nas eleições de 2000 foi incontestável e com apoio de 95% dos vascaínos.

Ponto. Ali se encerrou um ciclo. Na virada do século, o Eurico dirigente se tornou presidente e passou a escrever uma nova história.

Infelizmente, os oito anos de mandato que teve posteriormente foram um fracasso, dentro e fora de campo. As contas se acumularam, o time não produziu, não venceu e tudo ficou ainda mais exposto após a entrada de Roberto Dinamite.

São dois ‘Euricos’ distintos – um vitorioso e outro não – mas sua história não pode ser contada separadamente. Aos que o defendem, ficam as lembranças das décadas de 80 e 90. Os que são contra, usam seu histórico mais recente. Honestamente?! Os dois tem suas razões. Eurico já foi herói, assim como já foi vilão. Mas qual Eurico teremos agora?

O Vasco precisava, neste momento, de um dirigente de pulso, brigador, como Eurico Miranda. Concordo. Mas precisava também do empreendedorismo e profissionalismo de Julio Brant. Assim como Roberto Monteiro era um bom meio termo para isso tudo, um cara mais sociável. Porém, infelizmente, ‘união’ foi a palavra menos usada nestas eleições.



MaisRecentes

Presente de grego



Continue Lendo

Especial 120 anos: o maior Vasco de todos os tempos



Continue Lendo