Precisamos falar sobre Martin Silva



Martin Silva não vive bom momento no Vasco (Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco)

Martin Silva não vive bom momento no Vasco (Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco)

Evito esse texto há alguns meses, por dois motivos simples: é complicado mexer com idolatria e acho péssimo esse título “precisamos falar sobre”. Mas, no caso desse último, não achei nada mais adequado: realmente precisamos falar sobre Martin Silva.

Ídolos nascem dentro de campo, mas se consolidam fora dele. E isso ninguém tira de Martin. É um exemplo.

Além do bom nível técnico embaixo das traves, sempre se portou como um grande profissional. Se manteve firme no clube até nos piores momentos, é um líder, uma pessoa de caráter e uma referência para a torcida.

É ídolo de muitos, e com motivos de sobra.

Não é necessário ser um craque indefectível para ser amado, isso é apenas um detalhe. Idolatrias vão muito além da qualidade. E das quatro linhas. Mas é preciso se manter dentro delas.

Martin já não pode mais ser intocável no Vasco. Muito menos incriticável. Ao menos pelo o que produz em campo.

O uruguaio tem deixado a desejar nesta temporada. Não que tenha às costas um saco de frangos embrulhados e prontos para assar, mas tem sido menos eficiente do que se espera de um goleiro de seleção nacional.

Menos do que já foi no próprio Vasco.

A posição de intocável é um status perigoso de se manter, requer ombros largos e pernas fortes, e o uruguaio o carrega há alguns anos. A maioria deles, de maneira indiscutível, é verdade, mas nos últimos tempos tem pesado. Para a equipe e, aparentemente, para o jogador.

Grande times precisam de grandes goleiros. E grande goleiros precisam mostrar seu tamanho com grandes defesas. Martin Silva tem apenas a 24ª maior média de defesas do Brasileiro – 1,7 por jogo – e a 27ª de defesas difíceis – 0,7 por rodada.

Média que o deixa atrás inclusive de reservas de outros clubes.

Com a 2ª defesa mais vazada do campeonato – 34 -, certamente os números não são baixos em razão da falta de bolas chegando na meta vascaína. Muito pelo contrário, elas chegam, e em profusão.

Mais rápidas do que tem sido o tempo de reação de Silva.

Somando as defesas realizadas – difíceis e simples -, Martin realizou 50 intervenções na competição e sofreu 34 gols. Ou seja, de 84 finalizações em direção ao gol do Vasco – excluindo bolas na trave -, 40% beijaram as redes.

No Atlético Goianiense, lanterna e dono da defesa mais vazada, essa proporção cai para 29% com seu goleiro titular: foram 97 chutes ao gol de Felipe Garcia e 27 sofridos. O camisa 1 é o 8º com a maior média de defesas e o 16º em defesas difíceis.

Ou seja, a questão não é apenas a fragilidade do setor defensivo. Até porque, zagas desorganizadas muitas vezes também consagram goleiros. Martin pode – ou podia – mais do que tem entregue.

Num comparativo ainda mais impactante, Vanderlei, do Santos, tem 76 defesas realizadas – 39 simples e 37 difíceis – e somente 13 gols sofridos. O arqueiro santista foi batido em apenas 12 % dos arremates, contra 40% de Martin.

Espera-se do uruguaio que sua individualidade salve nas horas mais difíceis – como Vanderlei, Wilson, Jean e Douglas, entre outros, têm feito em seus clubes -, ou ao menos mascare, com alguns milagres semanais, a inaptidão coletiva do Vasco, mas não é o que tem ocorrido.

O camisa 1 vem tendo números e atuações de um goleiro comum, algo incomum para si. Para uma posição tratada por muitos como imutável, um perigo.

Tem sucumbido individualmente junto com o time, e se isso não é o grande problema da equipe no momento atual, é um dos que Zé Ricardo terá pela frente: não há substituto.

Martin tem mantido a titularidade incontestável pela falta de postulantes ao cargo, não por suas recentes apresentações.

Jordi e Gabriel Félix não inspiram confiança, João Pedro, destaque do time campeão do Carioca Sub-20, aparece como o goleiro em melhor fase, mas é uma incógnita como reagirá nos profissionais. Apesar disso, é o único dos quatro em bom momento.

O ídolo Martin, para quem o considera, é intocável. O goleiro Martin, por outro lado, não pode se dar a este luxo.

O Vasco precisa de um arqueiro mais consistente, seja ele Silva ou não.

Não dá para não falar sobre Martin Silva. Para o bem dele, de sua idolatria, e do Vasco.

* Dados do Footstats

Siga no Twitter: @BlogdoGarone
Acompanhe no Facebook: /BlogDoGarone



MaisRecentes

Um novo início, o mesmo fim



Continue Lendo

Vasco pode lucrar com a ida de Danilo para a França



Continue Lendo

Martín Silva pontua no Troféu Ademir Menezes; Pikachu reassume a liderança



Continue Lendo