A perigosa queda no desempenho do Vasco



Éderson não marca há quatro jogos (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

Éderson não marca há quatro jogos (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

Restando apenas três rodadas para o fim da Série B, o Vasco segue brigando para conseguir o acesso à elite do futebol brasileiro. O que parecia muito bem encaminhado no 1º turno, agora ganha ares de incerteza. A queda no rendimento é nítida e, com ela, a falta de resultados.

Montei um gráfico simples para mostrar como tem sido o desempenho do time, em pontos, em sua confusa campanha. A seta aponta para baixo, não é de hoje. E preocupa. Nos últimos cinco jogos, igualou seus piores resultados, obtidos no início do 2º turno. Faltam somente três partidas para reverter.

grafico-queda-de-desempenho-vasco



  • Dirceu

    Garone:
    Na realidade, o time do Vasco jamais nos encheu os olhos nas partidas disputadas na série B. Sempre foi o time das bolas paradas e das jogadas especiais do Nenê. Nunca vimos um futebol bonito, com diversas jogadas ensaiadas, com a movimentação constante de seu meio de campo e ataque. Vencíamos, mas não convencíamos. Esta é a mais pura verdade.
    Nosso time foi montado com base em aposentados jogadores, ainda em atividade, sem a força para sustentar um campeonato inteiro em alto nível físico. Além disso, nosso incompetente técnico (ele já nos provou repetidamente não ter conhecimento para a montagem de um time) decidiu correr “menores” riscos e manteve sempre no time os velhos companheiros. Não teve ele a coragem e a visão de ir substituindo, paulatinamente, os veteranos pelos garotos, preferindo a falsa “segurança ” que neles sentia.
    Acontece, que o campeonato é longo e com um nível de disputa física elevado. Não temos times de alto nível, mas todos correm o tempo todo, disputam todas as bolas. Nosso velho time foi se desgastando e, hoje, nossos veteranos jogadores não conseguem acompanhar o ritmo nos 90 minutos de um jogo.
    Além disso, não existe um conjunto, não existem triangulações, jogadas de linha de fundo, não vemos qualquer organização no time do Vasco. As apresentações são, simplesmente, ridículas, incompatíveis com um dos maiores clubes do futebol brasileiro e com sua tradição. Elas só nos envergonham a cada partida, ao ver, como ontem, nosso time dominado pelo insignificante Luverdense. É uma maldade perversa com nossa imensa torcida, acostumada que foi com times de qualidade, e que jamais poderia imaginar estarmos disputando, em inferioridade, um campeonato de série B.
    Tendo em mente que nosso time é, disparado, o mais caro do campeonato, não podem haver desculpas para estarmos na deprimente situação em que estamos.
    Os responsáveis aí estão à frente de todos, seu presidente e dirigentes, que não tiveram a capacidade para planejar e escolher o técnico certo e fazer as “apostas” que tivessem alguma chance de sucesso, e que pudessem compor a base de um time que passasse, antecipadamente e folgadamente, para a série A.
    O sofrimento por que passamos é fruto dessa enorme incompetência e só a expulsão desses parasitas será capaz de recolocar o Vasco em seu caminho de glórias.
    Que Deus nos livre desses maus. Amém.

  • Wagner

    Olhando a tabela de classificação, os jogos que faltam, a maneira como o Vasco tem jogado e seus adversários jogam conosco, lamento dizer que estaremos na série B outra vez. A única explicação que consigo ver na queda de rendimento eh força física e mental. Que triste😯

  • Paulo Wagner

    Não subiremos! Isso é certo! O time não consegue ganhar de ninguém em São Januário. E fora, como visitante, não vence desde junho. Isso porque jogamos contra potências do futebol brasileiro, como CRB, Vila Nova e Luverdense. De quem é a culpa? Pode-se dividi-la entre vários “culpados”. Em certo momento do campeonato, os principais jogadores do time acharam que o assunto já estava resolvido e começaram a se preocupar com outros assuntos que não eram do interesse do time. Resultado, um grupo enfraquecido e fraco, que não consegue mais se achar e perdeu totalmente a confiança. Foi o que se viu ontem, contra o Luverdense. Tomou sufoco o jogo todo! Achou um gol e poderia até ter vencido, mas foi amplamente dominado. Está em queda livre e não vai se recuperar a tempo de salvar o ano. O treinador parece não ter mais o comando do grupo. Invariavelmente, escala mal o time e substitui ainda pior. Insiste nos mesmos jogadores de “confiança”, que não rendem o esperado e não passam a menor “confiança” para o torcedor. Por alguma razão, abandonou jovens que poderiam ter amadurecido se tivessem entrado no time depois dos primeiros reveses. Não dá para entender a preferência por Jorge Henrique e Diguinho, e a escalação em posição errada de Nenê e até mesmo Pikachu, tendo Caio Monteiro e Evander à disposição. O time não tem padrão tático, é fraco tecnicamente, não marca bem e não consegue trocar meia duzia de passes sem cometer algum erro bizarro. Invariavelmente, toma sufoco de qualquer time, seja em casa, seja fora. Uma lástima! Por fim, a direção, do alto de toda a sua arrogância, dispensou jogadores que poderiam ser úteis e trouxe outros que não disseram a que vieram. E o pior, com um time de veteranos em fim de carreira, achou que seria suficiente para se classificar sem sustos. E o presidente ainda acha que sabe montar um bom time de futebol! Depois do desastre, certamente, o presidente vai dar nova entrevista coletiva dizendo que assume a responsabilidade por novo fiasco. E o torcedor, tão desconfiado com o time atual, que não comparece porque não reconhece o time que joga com a camisa do Vasco como um “time digno do Vasco”, irá cada vez menos aos estádios. Ninguém aguenta mais outra Série B! Nosso futuro se assemelha cada dia mais com o do outro time português. Só que de São Paulo…

MaisRecentes

Vasco rescinde contrato de goleiro do sub-20



Continue Lendo

Nenê volta a abrir vantagem na liderança do Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Nenê se isola como o 4º maior artilheiro do Vasco neste século



Continue Lendo