Os números de Milton Mendes na Série A



Milton Mendes foi apresentado no Vasco (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Milton Mendes foi apresentado no Vasco (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

“O Vasco vai brigar nas cabeças”. A frase do presidente do Vasco Eurico Miranda estabeleceu uma meta – e uma expectativa – no clube: conquistar uma das vagas para a Libertadores 2018. O retrospecto recente da equipe na Série A, porém, mostra que o primeiro objetivo é outro: permanecer na elite do futebol brasileiro.

Nos últimos quatro anos, o time foi rebaixado duas vezes, disputando a Série B em duas ocasiões. Ou seja, desde 2011/2012 que o Cruz-Maltino não participa do Brasileirão em duas temporadas consecutivas.

Para 2017, o clube já mudou de treinador. Após 14 jogos, Cristóvão Borges deu lugar a Milton Mendes, anunciado no fim deste domingo. Nome relativamente novo no mercado brasileiro, o técnico vai para a sua 3ª edição de Série A, tendo comandado Atlético Paranaense, em 2015, e Santa Cruz, em 2016.

Os números gerais, entretanto, não animam.

Em 47 jogos na 1ª divisão, Milton conseguiu apenas 16 vitórias e 8 empates, sendo derrotado em 23 partidas. Um aproveitamento de apenas 39,7%. Com estes números, a equipe brigaria na parte de baixo da tabela, conquistando cerca de 44 pontos.

No último Brasileiro, o Vitória foi o primeiro clube após a linha de corte do rebaixamento. O Rubro-Negro Baiano terminou com 45 pontos.

Claro, o trabalho de um treinador depende também do elenco que ele terá em mãos e da forma com que ele se portará sob o seu comando. No Furacão, por exemplo, o técnico teve um aproveitamento de 45,2%, deixando o clube quando estava na 11ª colocação. No Santa, onde tinha um grupo menos qualificado e que conviveu com problemas internos, como atrasos no pagamento, sua média caiu para 31,5%.

Resta saber qual ambiente Milton Mendes terá para trabalhar no Vasco. Os próximos jogos do Carioca deverão dar o tom.



  • Dirceu

    O novo técnico aí está. As opiniões sobre o acerto ou não de sua escolha são diversas. Mas devemos dar um tempo a ele para observar a evolução na organização tática do time do Vasco, que, até agora, foi nenhuma.
    Pode se tratar de uma aposta, mas uma aposta em quem tem os fundamentos para resultar em um bom trabalho, modernizar nosso padrão de jogo e fazer com que o time atue como uma equipe unida.
    É realmente uma aposta, mas também uma aposta muito mais factível do que a feita no Cristóvão, comprovadamente ineficiente. E também, uma aposta tão arriscada quanto a que seria feita no renomado Luxemburgo, que há anos não realiza um trabalho sequer mediano, e que parece estar envolvido com atividades outras, retirando o seu foco do futebol dentro das quatro linhas.
    Vamos dar um crédito ao Milton. Suas primeiras palavras vem de encontro às nossas necessidades, tais como: comprometimento, organização tática, movimentação constante, compactação e seriedade no trabalho. Tudo o que jamais vimos nos últimos anos em nosso time.
    Boa sorte ao novo técnico e um bom e positivamente consistente time para nós.

    • Fernando

      Excelente, Dirceu.

  • bruno lopes

    Parabens Dirceu

MaisRecentes

O vaivém do Vasco para 2018



Continue Lendo

Sub-23: Vasco acerta com mais dois jogadores do São Gonçalo



Continue Lendo

Desábato será o 34º estrangeiro a defender o Vasco neste século



Continue Lendo