O que acontece com o Vasco?



Jorginho precisa fazer mudanças no Vasco (Foto: Carlos Gregorio Jr/Vasco)

Jorginho precisa fazer mudanças no Vasco (Foto: Carlos Gregorio Jr/Vasco)

“O que está acontecendo com o Vasco?”.

Essa foi um das perguntas que eu mais recebi nos últimos dias pelo Twitter e Facebook do blog. E é uma questão difícil de responder. É o mesmo treinador, praticamente as mesmas peças, o mesma esquema, no mesmo campeonato… E talvez esse seja o problema.

Desde a chegada de Jorginho, Nenê e cia, ainda no ano passado, o time tinha metas audaciosas. Primeiro, apagar o 1º turno sofrível do clube no Brasileirão e escapar do rebaixamento praticamente certo. Não conseguiu, mas a arrancada na competição deu confiança e mostrou que o trabalho do técnico e do elenco, com reforços, poderia render bons frutos.

A equipe caiu, porém, aplaudida pela entrega e organização que teve em campo. Vencer o Carioca se tornou possível e novamente o grupo traçou um objetivo alto, mas tangível. E veio a taça de forma invicta. Foi campeão e logo encontrou uma nova meta: quebrar o recorde de invencibilidade de 35 partidas do Expresso da Vitória.

Quase deu. Com 34 encerrou a sequência – expressiva da mesma maneira. Desde então, o Vasco não jogou mais futebol. Tentaram a virada heroica contra o rebaixamento, o bicampeonato que não vinha desde 93, a invencibilidade histórica, e agora não possuem mais objetivos grandiosos pela frente.

O time desanimou.

O Vasco hoje é aquele aluno do 3º ano que tirou excelentes notas nos primeiros trimestres e agora empurra com a barriga os estudos esperando o ano acabar. Começa a zerar em alguns testes pelo simples fato de poder, mas esquece que aos poucos sua média vai caindo. Se vacilar mais, vai chegar nas provas finais pressionado.

E ano que vem ainda terá vestibular. Seus pais vão lhe cobrar ainda uma boa faculdade, pós, mestrado… Não dá para parar por causa de um 10 em Geografia.

Após a vitória sobre o Equador, Tite, técnico da Seleção Brasileira, falou muito sobre gestão de pessoas, como trabalhar individualmente com os atletas, saber ouvir o jogador, tentar extrair o melhor de cada um, passar tranquilidade e confiança… Talvez seja esse trabalho – que Jorginho conseguiu fazer em sua chegada – o necessário para o Vasco voltar a ir bem.

O elenco precisa reencontrar esse espírito e traçar novos objetivos.



  • Victor Cerqueira

    Bom texto, mas discordo desse ponto de vista Garone. O Vasco vem apresentando esse futebol sofrível que dependia de uma bola ou de uma jogada individual já faz muito tempo. Jorginho insiste em julio César, Jorge Henrique e outrora insistia em Diguinho e Aislan…atletas muito abaixo da crítica. Enquanto estiver jogando com 2, 3 jogadores a menos todo jogo, o resultado será esse. De quebra ele ainda aniquila o futebol de Andrezinho e Nene, com suas malucas improvisações…um colocando de volante e outro de atacante. Já passou da hora de Jorginho acordar!

    • Alessandro Louzada

      Concordo com o começo do comentario mas discordo do final. Andrezinho cresceu de produçao jogando de “segundo” volante e Nene rendeu melhor quando jogou mais proximo da area. Problema desse time é a insistência de Jorginho, Jorge Henrique nao produz nada no ataque e mt menos na defesa. Julio Cesar a mesma coisa e agora Rafa Marques, com sua lentidao. Jomar bancou pq? Mesmo motivo do William? Jorginho ja errou o que tinha pra errar, agora com elenco completo em maos chegou a hora de mostrar que tem potencial pra ficar no Vasco, caso contrario sera mais um Doriva.

  • Vitor

    Martin Silva,Luan,Nene,Andrezinho e Ederson,Jr Dutra e o Jovem Douglas Luiz sao os únicos jogadores que o Vasco tem que fazer esforço de renovarem seus contratos,o resto tem que ir embora!!!

    Jordi tem tem que ser Emprestado,pois nao esta a altura do Martin Silva,goleiro novo,inseguro que oscila muito,ou vai muito bem numa partida e na outra falha!Precisamos de um bom reserva para o ano que vem.

    Madson – Lateral fraco,nao sabe cruzar e.nao chuta. A gol!

    Rodrigo – Ja passou do prazo de validade!

    Julio Cesar- Ja esta pedindo um.banco de reserva a muito tempo,mais seu reserva consegue ser pior.

    Marcelo Mattos – Volante que bate o jogo todo,erra muitos passes e não tem velocidade.

    Julio dos Santos- Jogador mais lento que internet Explore,horrível.

    Diguinho- Sempre foi fraco,nem deveria ter sido contratado,amor incondicional do Jorginho.

    Jorge Henrique- Jogador mais inútil do Vasco,atacante que entra so pra marcar e melhor ficar no banco. Ele e Julio Cesar sao duas avenidas perfeitas para o time adversários,dois jogadores velhos e.JH com a bola nos pés, nao faz gol,nao dá assistência e num jogador cai-cai!

    Leandrao- Nao sei pq, ainda esta no Vasco,jogador que estava na 3° divisão não pode jogar no Vasco!

    Thalles- 5 anos de tortura com a camisa do Vasco.Jogador gordo,se posiciona Mal,nunca esta no lugar certo pra.finalizar,so a anta do.Jorginho ve talento nesse Garoto.

    Jorginho- Sua incapacidade de perceber que o time e velho e sem movimentação atrapalha o clube.O time precisa de renovação e sangue,e vontade de vencer!Tem que parar de teimosia e barrar de vez esses jogadores citados!

    Barca pra 2017,se o.clube pensa mesmo em se reerguer!!

    Fora: Jordi,Madson,Rodrigo,Rafael Marques,Julio Cesar,Marcelo Mattos,Diguinho,Júlio dos Santos,Jorge Henrique,Leandrão,Thalles e Eder Luis!!!

  • José Dos Santos Beirauti

    Victor Cerqueira e Alessandro Louzada, esqueceram de citar o dono do time, o Rodrigo. Esse zagueiro tem falhado bastante e tomado cartão amarelo em demasia.

  • Norberto Freund

    Gente, o Nenê não está jogando nada, nem o Jorge Henrique.
    O Douglas com 18 parece ter mais personalidade que os mais velhos !
    eu experimentaria um meio do campo com Wiliam, Douglas, Andrezinho e Dutra, na frente Nenê e Éderson. O Julio Cesar tem que jogar sempre com a raça que jogou o 2o tempo. O Vasco aceitou a pressão do Bahia e ficou esperando a marcação de faltas. Para a série B ainda dá , mas e depois??
    Está na hora do Jorginho botar o pau na mesa, e parar de ficar alisando a cabeça dos jogadores.
    Diguinho, Mattos, Jorge Henrique , Éder Luis, podem entrar quando o ogo estiver decidido e o adversário cansado. E só !!
    Thalles, Caio Monteiro podem ser opção de 2o tempo
    Aislan deve ter um ótimo empresário, desastre total, e o Rodrigo será um ótimo preparador para beques de área mas já vejo o final da luz no fundo do túnel

  • Dirceu

    A grande qualidade do Jorginho no segundo turno do campeonato brasileiro no ano passado, foi ter unido o grupo, fazer com que eles acreditassem na possibilidade de sair do buraco. O time jogou com raça e quase conseguiu seu objetivo, embora tenha-lhe faltado coragem em alguns jogos.
    Entramos no carioca com a mesma base e enfrentamos os outros grandes clubes ainda com seus times em reformulação, e com as bolas paradas e os lampejos do Nenê, conseguimos mais um título.
    Veio o brasileirão B e o time continuou ganhando, muitas vezes com bastante sorte e, novamente, na dependência das tais bolas paradas e lances especiais do Nenê. Era muito pouco para um time que tinha a obrigação de ser campeão e precisava formar a base para a série A de 2017.
    A sorte acabou, a luz que iluminava o Nené morreu, o time continuou sem uma organização tática para o ataque, e a defesa se desestruturou. Nosso técnico, que teve mais do que tempo para criar as jogadas ensaiadas, as triangulações pelas laterais, as transições rápidas para o ataque, e as recomposições nos contra-ataques, mostrou -se incompetente para tanto.
    O time não tem jogado nada nos últimos dez ou mais jogos e, mais do que isso, nada acontece em termos de organização tática.
    Parece que o Jorginho criou vínculos com os veteranos atletas e não teve a coragem ou a capacidade para substituí-los, ao invés de insistir um pouco mais nos mais jovens e dar ao time poder de ataque e um padrão de jogo efetivo. (Vejam o caso do Douglas Luiz: será possível que este menino, tenha estado em todos os treinos sem jogar nada e , de repente, como num passe de mágica, passou a jogar futebol?)
    Hoje, vejo que ele está perdido, não tem o apoio dos “velhos” (que não tem mais a capacidade física para jogar 90 minutos em alto nível), nem consegue fazer com que o time se organize.
    O Vasco precisa de um time mais veloz, que dispute o tempo inteiro, que saiba que é maior e melhor e parta para cima de seus fracos e pobres adversários. Contra o Bahia, jogamos um primeiro tempo como time pequeno, só nos defendendo, e, no segundo tempo, apesar da maior vontade, só chutamos duas vezes ao gol. Muito pouco para o nosso glorioso Vasco da Gama.
    Manter no time os velhos e já descartados jogadores, como: Júlio dos Santos, Julio César, Éder Luiz, Leandrão, Jorge Henrique, Diguinho, não nos vai levar a lugar algum, a não ser à própria série B.
    O tempo têm mostrado e irá mostrar que tenho razão. O Jorginho não tem a capacidade para formar a equipe que faça nossos adversários nos respeitarem, verem o Vasco como a grande força, que sempre foi, um time que jogue futebol de verdade.

MaisRecentes

Andrey larga na frente na disputa do Troféu Ademir Menezes 2018



Continue Lendo

Um Vasco que precisa nascer prematuramente



Continue Lendo

A derrota dos vascaínos



Continue Lendo