O pesadelo do Vasco



Vasco não mostra força para levantar (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

Vasco não mostra força para levantar (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

Todo mundo já teve um pesadelo na vida. Eu já tive muitos. Passei a ter menos depois de mais velho. Agora, às vezes, eles vêm quando estou acordado, mas acho que é assim pra todo mundo. A vantagem é que a gente passa a poder enfrentá-los.

Caindo de lugar algum para o nada, num tombo sem fim. Braços, galhos e até elásticos segurando sem deixar movimentar. Acordar, abrir os olhos e não enxergar. Tentar correr e patinar sem sair do lugar… Foram muitos. Acredito que são comuns.

Poucos envolviam uma segunda pessoa. Era sempre eu. Não sei o que significa.

O Vasco, eu acho, sabe.

Durante 90 minutos, assisti aos meus velhos pesadelos, enquanto acompanhava Vasco x Luverdense. Só que acordado. O que eu achava ser algo simbólico, vi que é capaz de ser palpável.

Não pelo show de horrores nos passes errados vascaínos – 69 entre toques curtos e lançamentos. Nem pela cara de frustração dos jogadores em cada erro, como se fossem as últimas jogadas da vida. E correr para recompor, a morte. Mas vi, literalmente, alguns dos sonhos ruins.

Andrezinho corria sem sair do lugar. Parecia jogar de patins em muitos momentos. O time não rendia e Jorginho não via. Quando Jordi defende a primeira cabeçada, Júlio César é seguro pelo próprio ímpeto. Imóvel, vê Alfredo marcar.

O Vasco paralisou. Escorregou. Ficou cego. E está em queda livre.

Pesadelos individualizados de um festival horripilante coletivo. O Vasco é o seu maior pesadelo. Vive nas sombras e ali permanece. Em campo, deixa buracos para a queda, se separa como numa caçada clichê de filme de terror. E morre. Aos poucos.

O Vasco não acorda e o pesadelo continua.

Cada vez mais real.



  • Paulo Wagner

    Não subiremos! Isso é certo! O time não consegue ganhar de ninguém em São Januário. E fora, como visitante, não vence desde junho. Isso porque jogamos contra potências do futebol brasileiro, como CRB, Vila Nova e Luverdense. De quem é a culpa? Pode-se dividi-la entre vários “culpados”. Em certo momento do campeonato, os principais jogadores do time acharam que o assunto já estava resolvido e começaram a se preocupar com outros assuntos que não eram do interesse do time. Resultado, um grupo enfraquecido e fraco, que não consegue mais se achar e perdeu totalmente a confiança. Foi o que se viu ontem, contra o Luverdense. Tomou sufoco o jogo todo! Achou um gol e poderia até ter vencido, mas foi amplamente dominado. Está em queda livre e não vai se recuperar a tempo de salvar o ano. O treinador parece não ter mais o comando do grupo. Invariavelmente, escala mal o time e substitui ainda pior. Insiste nos mesmos jogadores de “confiança”, que não rendem o esperado e não passam a menor “confiança” para o torcedor. Por alguma razão, abandonou jovens que poderiam ter amadurecido se tivessem entrado no time depois dos primeiros reveses. Não dá para entender a preferência por Jorge Henrique e Diguinho, e a escalação em posição errada de Nenê e até mesmo Pikachu, tendo Caio Monteiro e Evander à disposição. O time não tem padrão tático, é fraco tecnicamente, não marca bem e não consegue trocar meia duzia de passes sem cometer algum erro bizarro. Invariavelmente, toma sufoco de qualquer time, seja em casa, seja fora. Uma lástima! Por fim, a direção, do alto de toda a sua arrogância, dispensou jogadores que poderiam ser úteis e trouxe outros que não disseram a que vieram. E o pior, com um time de veteranos em fim de carreira, achou que seria suficiente para se classificar sem sustos. E o presidente ainda acha que sabe montar um bom time de futebol! Depois do desastre, certamente, o presidente vai dar nova entrevista coletiva dizendo que assume a responsabilidade por novo fiasco. E o torcedor, tão desconfiado com o time atual, que não comparece porque não reconhece o time que joga com a camisa do Vasco como um “time digno do Vasco”, irá cada vez menos aos estádios. Ninguém aguenta mais outra Série B! Nosso futuro se assemelha cada dia mais com o do outro time português. Só que de São Paulo…

    • PalmeirasCampeao

      Concordo amigo tá tenso a situação,não penso nem nisso,do Vasco não subir,tá sendo um terror ,não durmo direito,dor de cabeça,tristeza enfim o Vasco acabou,aguentar zoação dessa mulambada,triste,espero que o vasco reaja mas está cada vez mais difícil.

MaisRecentes

As gratas surpresas de Cristóvão no Vasco



Continue Lendo

Bicampeão, Nenê começa bem o Troféu Ademir Menezes 2017



Continue Lendo

Primeiras impressões sobre o Vasco 2017



Continue Lendo