O ídolo que Nenê pode se tornar



Nenê pode virar ídolo no Vasco (Foto: Cléber Mendes/LANCE!Press)

Nenê pode virar ídolo no Vasco (Foto: Cléber Mendes/LANCE!Press)

Falar de idolatria é algo muito subjetivo. Ter alguém como ídolo é um gesto pessoal, uma escolha individual e intransferível. O meu ídolo pode não ser o seu. E o motivo para ele ser, também não.

Meu primeiro ídolo, na infância, foi Pedro Renato. Talvez você nem se lembre – ou conheça -, mas o meia-atacante despontou no Vasco no início dos anos 90 como uma grande promessa. Ao mesmo tempo eu surgia na casa do meu avô, à frente do seu radinho, como um grande torcedor.

Assisti poucos jogos seus, mas ouvi vários. E talvez essa parte lúdica do rádio, de brincar com o imaginário do torcedor, tenha me ajudado a criar este ídolo que até hoje possui poucos registros em vídeo e que passa quase desapercebido pela memória cruz-maltina.

Minha ‘carreira’ – na torcida – acabou durando mais que a dele – nos gramados -, interrompida precocemente por seguidas lesões no joelho. Por coincidência, ele se tornou também o meu primeiro entrevistado quando iniciei no jornalismo.

Com o passar dos tempos, me encantei pela ferocidade de Edmundo, a classe de Zidane, os gols de Romário, a genialidade de Djalminha e a precisão de Alex. Mas nem todo ídolo é craque. Muito menos todo craque é ídolo. Porém, quando se consegue unir talento e identificação, a relação fica mais fácil de ser compreendida. E Nenê pode alcançar isso.

O camisa 10 já não é mais nenhum garoto, talvez não tenha tempo – e nem companheiros – para conquistar títulos como Felipe e criar raízes como Pedrinho, mas pode ser a referência da juventude de muitos vascaínos que não tiveram aquela geração para idolatrar. Ao vivo, em tempo vivido e não em história contada.

Nenê não é nenhum fora de série, posto ao lado de grandes nomes que já passaram pelo clube, mas é um ‘Juninho Paulista’ em meio a tantos ‘Christiannos’ e ‘Bolts’. Um acima da média no futebol nacional atual. E mais: tem atitudes fora de campo que o credenciam a ser mais que um grande jogador, mas um ídolo.

De contrato renovado até o fim de 2018, terá a chance de encerrar a carreira com o nome cravado na história do Vasco e não apenas como um grande atleta com passagens por vários clubes. O meia fez o certo ao escolher ficar. Em meio a escassez de bons jogadores e boas pessoas no futebol, Nenê é um diferenciado.

Nem todo ídolo é Juninho Pernambucano. Alguns, são Odvan. Outros, simplesmente Nenê.

O camisa 10 terá um triênio para se eternizar. E a torcida, quem sabe, mais um nome para idolatrar.



  • Luiz Matias

    idolo de serie C kkk sou mais mengão

    • Lucas

      É mais o lixão ? Tem quem aí que vocês idolatram ? Guerrero ? Sheik ? Mancuello que nem jogou ainda ? Para de ser babaca seu otário, seu time deve ter uma página aqui nesse site, portanto leve suas idiotices para lá ?

      • Fernando

        Claro, freguês. Alias, pronto pra tomar mais um sacode este ano?

MaisRecentes

Nenê: titular ou opção no banco?



Continue Lendo

Manga ganha duas posições no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

O 0 a 0 disfarçado



Continue Lendo