O dia em que Vasco e Cruyff se encontraram



Cruyff fez história no Ajax

Cruyff fez história no Ajax

Roberto Dinamite bem que poderia ter sido um dos convocados de Zagallo na Copa do Mundo de 74, ano em que o Vasco conquistou o sue primeiro título nacional, mas não foi. Talvez a história pudesse ter sido um pouco diferente no confronto entre Brasil e Holanda, que terminou na eliminação brasileira. Mas apenas um pouco. Do outro lado havia Cruyff no ápice de seu talento, tricampeão da Champions League pelo Ajax. Era para ter sido o ano holandês, mas acabou parando na Alemanha de Beckenbauer.

O encontro ente Vasco e Cruyff aconteceria apenas após a aposentadoria do camisa 14, comandante da fantástica Laranja Mecânica. Ao deixar os gramados, o craque se tornou treinador e teve passagens marcantes por Ajax e Barcelona, os mesmos clubes em que havia brilhado como atleta. E foi quando estava no comando do time espanhol que o Cruz-Maltino cruzou o seu caminho.

Antes de se sagrar campeão carioca invicto, em 1992, a equipe de São Januário viajou até a Espanha para participar do Torneio Cidade de Sevilha, que contaria com Real Bétis, Porto, Atlético de Madrid, Sevilha, e Barcelona, além dos cariocas. O Vasco ficou no grupo A, ao lado de Bétis e Barça.

A estreia com derrota para os alviverdes por 2 a 0 praticamente eliminou os vascaínos do rápido torneio, mas ainda havia mais um jogo: contra o Barcelona de Cruyff. Era a chance de deixar uma boa impressão na Espanha e retornar com moral ao Brasil para a disputa do Estadual. E foi o que houve.

Comandado por um jovem Edmundo, que disputava a sua primeira temporada como profissional, o Vasco fez uma partida apertada contra os catalães, que tinham o gênio holandês em seu banco de reservas. Dinamite, ex-Barça e ‘quase adversário’ em 74, acabou ficando mais uma vez de fora, desta vez por lesão.

Com a bola rolando, Júnior abriu o placar ainda no primeiro tempo. Aos 43 do segundo tempo, porém, Txiki Begiristain deixou tudo igual e botou fogo na partida. A resposta cruz-maltina não demorou. Em dois rápidos contra-ataques, Edmundo e Luis Carlos Winck decretaram a vitória brasileira.

Naquele 19 de agosto de 92, deu Joel Santana no duelo com Cruyff. Coisas do futebol, tão mágicas e imprevisíveis quanto o eterno Jopie. Neste 24 de março de 2016, perdemos Jopie, tão mágico e imprevisível quando o futebol.

FICHA DO JOGO

Vasco 3 x 1 Barcelona
Data: 19/08/1992
Troféu Cidade De Sevilha
Local : Benito Villamarin (Sevilha – ESP)
Arbitro : Carcelen Garcia
Público : –
Gols : Júnior (Vasco 35/1ºT), Beguiristain (Barcelona 43/2ºT),  Edmundo (Vasco 45/2ºT) e Luís Carlos Winck (Vasco 46/2ºT)

Vasco – Carlos Germano, Luís Carlos Winck, Alê, Jorge Luís, Eduardo, Luisinho, Flávio, Leandro, Bismarck, Júnior (Cássio) e Edmundo (Tinho) Técnico : Joel Santana

Barcelona – Zubizarreta, Nadal, Koeman, Amor, Serna (Pablo), Bakero (Juan Carlos), Goikoetxea, Eusébio, Salinas (Alexanco), Witschge e Beguiristain Técnico : Cruyff

Capa do Jornal espanhol El Mundo Desportivo sobre a partida entre Vasco e Barcelona

Capa do Jornal espanhol El Mundo Desportivo sobre a partida entre Vasco e Barcelona



  • Artmulek

    Agora pergunto, já ganhou do barcelona?
    Por que as pessoas não aceitam o Vascão?
    Exatamente por isso, inveja pura!!!
    Por isso sempre digo, vem meus fregueses, vem chorar no ombro do Vascão, time do consolo e da virada. kkkkkkkk

    • Thalles Ferreira

      Já ganhamos 4 vezes do Barça, uma delas por 7 a 2 (maior goleada sofrida pelo Barça em casa) e 3 vezes do Real.

MaisRecentes

Vasco ainda procura o substituto de Douglas Luiz



Continue Lendo

Próximos seis jogos podem definir o destino do Vasco no Brasileiro



Continue Lendo

As mãos invisíveis



Continue Lendo