O dia em que o futebol renasceu



Torcida do Atlético Nacional faz homenagem a Chape (Imagem: Reprodução/Twitter)

Torcida do Atlético Nacional faz homenagem a Chape (Imagem: Reprodução/Twitter)

Dor e alegria andam muito próximas. Tão perto, que o dia mais triste da história do futebol mundial veio poucas horas antes do mais simbólico, talvez o mais belo, apesar da dor.

Duas torcidas cantando em arquibancadas lotadas, distantes, em línguas distintas, mas para um gramado vazio. Peitos apertados, costas pesadas e coração doído. Mas que pulsava. Batia forte demais para caber em um torcedor só. Em um estádio apenas. Em um só país. Ou em somente um idioma.

As palmas compensavam a voz que muitas vezes falhava. As lágrimas banhavam o rosto arranhado pela dor. As velas mantinham acesa a esperança. Principalmente de que ainda somos humanos.

Em inúmeros cantos, vários cantos e um encanto: a vida. A tentativa de compreender sua perda e a necessidade de entender a importância de saber aproveitá-la.

O futebol nada mais é que pessoas vivendo uma paixão. Compartilhando um momento, um amor.

A bola, coitada, que me desculpe, mas é apenas um detalhe. É um pequeno adereço em meio ao carnaval de emoções. Uma singela flor no cabelo do seu amor. É bela, admirável, mas são os olhos que brilham. É a pele que perfuma, o sorriso que encanta. Isso vem das pessoas.

O que aconteceu – ainda acontece enquanto escrevo – na Arena Condá e no Atanásio Girardot, na Colômbia, tem explicação, mas não com palavras. É algo para se sentir.

Chapecó se preparou para uma partida, jamais para 71.

O jogo desta quarta-feira nunca será realizado. Recebeu a honra de ser eterno. Porém, foi dado o pontapé inicial a uma batalha que andava em falta no futebol: a da solidariedade.

Foi o recorde de público do esporte mundial. Nunca dois lugares abrigaram tantos corações. E orações.

Quando alguém lhe perguntar porque você ama o futebol, não tente explicar o que é o esporte. O que ela não entende é sobre o amor.

Se ela insistir, lhe mostre essa imagem. Ela diz mais que qualquer palavra.

garoto-chora-chape
“Vamo, vamo, Chapeeeeee! Vamo, vamo, Chapeeeee!!! Vamo, vamo, Chapeeeeeeeee!!!”



MaisRecentes

Vasco rescinde contrato de goleiro do sub-20



Continue Lendo

Nenê volta a abrir vantagem na liderança do Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Nenê se isola como o 4º maior artilheiro do Vasco neste século



Continue Lendo