O crime do Vasco



Vasco conquistou a sua 10ª Taça Rio (Foto: Wagner Meier/Lancepress)

Vasco conquistou a sua 10ª Taça Rio (Foto: Wagner Meier/Lancepress)

O dia que um clássico não tiver valor e uma taça não for importante, enterraremos o futebol e partiremos para uma modalidade qualquer de baralho onde as pessoas se sintam mais confortáveis para sorrir. Ora, se uma vitória, independente de valer título ou se é contra um rival, tem relevância, o que dizer de uma partida que tinha todos estes pesos?

Falar que o Estadual não está no mesmo nível do Brasileiro é o mesmo que avisar que o preço do quilo da cenoura está mais barato que o da picanha, como se alguém trocasse um pelo outro. É óbvio que são coisas diferentes, de valores distintos, mas que podem ser servidos juntos, sem problemas algum.

Se ganhar o Carioca – a Taça Guanabara, a Taça Rio ou torneio de bairros da sua cidade – não é parâmetro, perder é? Se é apenas um rito de passagem até o prato principal, que seja vitorioso. A entrada não precisa ser dispensada só porque você pediu o filé mignon. Dá pra comer os dois.

Basta saber diferenciar um do outro.

Futebol é entretenimento. E como tudo que tem como foco divertir, sorrir é um dos pontos altos. E não é isso que os vascaínos estão fazendo neste momento?

Então o futebol cumpriu o seu papel neste domingo.

O Vasco entrou para enfrentar o Botafogo sem ter vencido nenhum clássico no ano, e venceu. Luis Fabiano ainda não havia marcado, e fechou a vitória por 2 a 0. Milton Mendes queria aumentar sua invencibilidade, e somou mais uma partida. Guilherme Costa precisava mostrar para o treinador que tem espaço entre os titulares, e mudou o jogo em seu segundo toque na bola, quando conseguiu a expulsão de Marcelo. O elenco Cruz-Maltino precisava de uma injeção de ânimo e confiança, e foi exatamente o que conseguiu.

De quebra, ainda levou R$ 1 milhão pra casa.

Será que não valeu mesmo?

O regulamento do Carioca é indiscutivelmente péssimo. Uma rara unanimidade no futebol. Mas é bem melhor ver seu time vencer um campeonato ruim do que acompanhá-lo caindo pelas tabelas na fórmula mais correta possível. Principalmente quando o título não vem em razão do regulamento, ele foi ganho na bola.

Ninguém torce pra campeonato, eles vibram por clubes.

Enquanto as camisas tiverem alma, não terá uma só vitória que não faça bem e traga calma.

Pergunte ao vascaíno que desfilará sorridente com a Cruz de Malta no peito amanhã, ao técnico Jair Ventura que mandou seu time para o ataque aos 44 minutos segundo tempo – e por isso deu o contra-ataque do 2º gol -, ao goleiro Helton Leite que levantava bolas na área do Vasco nos instantes finais, ao Bruno Silva que lamentou a finalização errada ou até mesmo a Diego, do Flamengo, que jogou os 90 minutos da semifinal e quase marcou aos 87…

A verdade é que todos tentaram vencer. Esse é o princípio básico do desporto: competir. Só um conquistou, claro. Exatamente o que mais precisava. E isso não deve ser motivo de preocupação, mas sim de esperança para o elenco.

Nos tornarmos reguladores da alegria alheia, isso sim é preocupante.

Se é crime comemorar título, eu quero é distância da polícia…



  • Fabian Grutzmacher

    Ótimo comentário. Apenas completando dizendo que para quem acha que não vale nada é porque provavelmente não estava na final. Uma enorme dor de cotovelo.

  • Luis Filipe

    Parabéns. Vc disse tudo.

  • Peterson Tesch da Silva

    Parabéns pelo texto.

  • Edison Lopes

    Claro que vale, Garone, e vale muito. O Vasco precisava de uma vitória assim. Eu náo sei ainda como, porém , o Milton tem que dar um jeito de botar prá jogar o Kelvin e o Guilherme no mesmo time.

  • Alessandro Louzada

    Perfeito! So diz que nao vale quem nao ganhou. Seria melhor se fosse contra um Botafogo titular, mas deu pra ter ideia que Manga e Guilherme nao podem ser banco, Wagner nao merece e nao pode ser titular desse time, é banco do Nene e PONTO. Pikachu é uma otima opção junto do Kelvin, mas nao produzem o suficiente pra serem titular desse time, Manga ajuda pela esquerda e Guilherme pela direita, Nene livre no meio. Vasco ganha em velocidade e mobilidade, Luis Fabiano precisa desse tipo de jogador, veloz e solidario, so quem ganha é o Vasco.

    • Fabian Grutzmacher

      O time ainda esta em formação. Creio que até o Brasileiro vai estar em ponto de bala. O Milton esta fazendo um excelente trabalho. Esta desenvolvendo os jogadores dentro de uma proposta tática. Agora sim podemos ver um time. Faz um mês que ele assumiu e já estamos com um bom nível. Isso serve para mostrar ao Cristovão que ele realmente não entende nada de futebol. Onde a diretoria estava com a cabeça quando o contratou. Se tivessem contratado logo o Milton, certamente ainda estaríamos na Copa do Brasil e o time já estaria em outro patamar. Mas….dos males o menor, ainda bem que deu tempo. Agora é treinar muito para o Brasileiro.

      • Alessandro Louzada

        Ja diz o ditado amigo, A males que vem para o bem. Se n fossemos eliminados da CB ainda estariamos com Cristovao. Espero que Milton perceba que o Vasco do primeiro tempo nao possui MOBILIDADE E VELOCIDADE, contra o Fluminense isso sera mais uma vez fatal. Guilherme ou Manga no lugar no Andrezinho é o MINIMO que deve fazer, Fluminense joga pelo empate, obrigaçao NOSSA atacar.

        • Fabian Grutzmacher

          Concordo em gênero, número e grau.

  • Julio Costa

    o grande problema é o clubismo não nos deixar ser mais racional.
    Cara, vou te mostrar os problemas dessa “taça Rio ”
    01 – Botafogo estará desfalcado de dois jogadores na verdadeira decisão domingo que vem, porque foram expulsos numa ” final”
    02 – Imagina se a Final do carioca dosse FLAMENGO X BOTAFOGO, vc acha que isso tinha sido justo com o Ba2co ?
    03 – Imagina o Ba2co banhar a taça Rio e a taça guanabara, daí , perde nas semis do carioca, E AI, DO QUE VALERAM ???
    04 – Em meio a Libertadores, vc acha mesmo que o Botafogo colocaria o time titular pra um torneiro que vale ” nada” em relação a classificação ?
    05 – 1 milhão ???? Flamengo fez 3 milhões quarta passada
    06 – Flamengo, Vasco, Botafogo e Fluminense tinham que se unir pra ter um campeonato melhor, é inaceitável termos os 4 juntos uma média menor que o SPFC no campeonato paulista.

    O CARIOCA TEM QUE ACABAR !!!

    • André Schmidt

      1 – O Botafogo estará desfalcado por ações de seus jogadores, como chutar uma bola no juiz. Aconteceria o mesmo se fosse em qualquer outro jogo.
      2 – Em momento algum o regulamento foi elogiado, muito pelo contrário. Basta ler o parágrafo 10.
      3 – Em momento algum o regulamento foi elogiado, muito pelo contrário. Basta ler o parágrafo 10.
      4 – Ninguém questionou se era time titular ou reserva. Isso é opção do clube. Fazem isso até no Brasileiro, em jogos decisivos, e ninguém desmerece a conquista do campeão por conta disso.
      5 – Flamengo fez 3 milhões quarta, mas não fez nada no fim de semana. Se tivesse ganho, teria feito R$ 4 milhões. De qualquer forma, deixou de fazer mais um. O Vasco não.
      6 – Com certeza os clubes precisam se unir para melhorar o campeonato. Como disse, a crítica ao campeonato está no 10º parágrafo. O que não diminui a conquista. Regulamento do Brasileiro de 87 também era horroroso, nem por isso o Flamengo abriu mão dele. Até hoje…
      7 – (respondendo o primeiro comentário) Clubismo é achar que só quando o seu vence é importante. No meu texto eu defendi a comemoração de cada jogo, independente de clube. É bem diferente.
      Abraço!

  • Dirceu

    Gostei muito de seus comentários de hoje. O título da taça Rio pode não significar muita coisa, mas vencer um clássico, ver nossos jogadores sorrindo, comemorando a conquista da taça, escutar a execução de nosso hino, tudo isso nos faz feliz e nos orgulha. Precisamos, o clube, o time e nossa torcida, de vitórias importantes, de conquistas.
    Temos a consciência que ainda temos que melhorar bastante, para podermos realmente competir no campeonato nacional, mas a vitória, o comprometimento e, principalmente, a evolução que mostra o time, nos traz a fundada esperança, que melhores dias podem ser sonhados.
    Saímos do mundo dos devaneios, para o dos sonhos inspiradores das grandes vitórias.

MaisRecentes

Nenê se isola como o 4º maior artilheiro do Vasco neste século



Continue Lendo

Caio Monteiro marca seus primeiros pontos no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

A zona vascaína



Continue Lendo