O bom sucesso



Vasco venceu o Bonsucesso por 3 a 1 (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Vasco venceu o Bonsucesso por 3 a 1 (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Todo torcedor vive no limite entre ódio e amor. Entre a loucura de uma paixão e o vislumbre da razão. Corneta antes, durante e depois. Se o time ganha, não fez mais do que a obrigação. Se perde, é a vergonha do século. Uma insatisfação constante que nem a perfeição, improvável e inexplorada, consegue mudar.

Num mundo tão louco como o da bola, quem tem sanidade para se firmar, brilha. E o sucesso alheio às vezes incomoda. É um momento onde todo mundo critica tudo, todos e sempre. Principalmente nos dias de hoje, onde o dedo que ontem apontava, agora também tecla, escreve. Tem gente que não gosta do sucesso alheio. Eu acho bom. Dar a volta por cima é uma das graças do futebol.

Contra o Bonsucesso, Jorginho deu mais uma chance de sucesso a alguns criticados. É bom ver Jomar roubando a bola e a carregando enquanto a torcida o aplaude. Melhor ainda é ver Thalles fazendo gols e mostrando que está tudo tranquilo e favorável. Assim como Riascos também vinha fazendo. Bom também é ver Caio Monteiro e Evander pisando no gramado pela primeira vez como profissionais. Graças ao sucesso na base. O bom sucesso.

Entre o sucesso e o insucesso, havia um Bonsucesso para Pikachu. Uma furada, e as críticas. Um segundo furo, e o ‘fracasso’. A insistência e, enfim, o sucesso. Ainda que momentâneo. Melhor para Yago, melhor para o Vasco. E, claro, para a torcida.

Para Nenê, o sucesso é algo tão comum que o som dos aplausos deve ser o toque do seu celular. E do despertador, para iniciar o dia da mesma maneira em que terminará. Gol de Messi, comemoração de Cristiano Ronaldo e segue vivo o sonho de vestir o manto amarelo ao lado de Neymar.

Apesar das individualidades decidindo, o grande sucesso do Vasco neste início de ano foi no coletivo. Levantar a moral individual de cada um é apenas um dos méritos de Jorginho. Transforma-los em um grupo, o passo fundamental para um ano de sucessos.



MaisRecentes

Revelado pelo Vasco, Lorran acerta com clube do Chipre



Continue Lendo

Com Maxi López e Henríquez, Vasco chega a 37 estrangeiros contratados nos anos 2000



Continue Lendo

Maxi López no Vasco



Continue Lendo