O bom sucesso



Vasco venceu o Bonsucesso por 3 a 1 (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Vasco venceu o Bonsucesso por 3 a 1 (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Todo torcedor vive no limite entre ódio e amor. Entre a loucura de uma paixão e o vislumbre da razão. Corneta antes, durante e depois. Se o time ganha, não fez mais do que a obrigação. Se perde, é a vergonha do século. Uma insatisfação constante que nem a perfeição, improvável e inexplorada, consegue mudar.

Num mundo tão louco como o da bola, quem tem sanidade para se firmar, brilha. E o sucesso alheio às vezes incomoda. É um momento onde todo mundo critica tudo, todos e sempre. Principalmente nos dias de hoje, onde o dedo que ontem apontava, agora também tecla, escreve. Tem gente que não gosta do sucesso alheio. Eu acho bom. Dar a volta por cima é uma das graças do futebol.

Contra o Bonsucesso, Jorginho deu mais uma chance de sucesso a alguns criticados. É bom ver Jomar roubando a bola e a carregando enquanto a torcida o aplaude. Melhor ainda é ver Thalles fazendo gols e mostrando que está tudo tranquilo e favorável. Assim como Riascos também vinha fazendo. Bom também é ver Caio Monteiro e Evander pisando no gramado pela primeira vez como profissionais. Graças ao sucesso na base. O bom sucesso.

Entre o sucesso e o insucesso, havia um Bonsucesso para Pikachu. Uma furada, e as críticas. Um segundo furo, e o ‘fracasso’. A insistência e, enfim, o sucesso. Ainda que momentâneo. Melhor para Yago, melhor para o Vasco. E, claro, para a torcida.

Para Nenê, o sucesso é algo tão comum que o som dos aplausos deve ser o toque do seu celular. E do despertador, para iniciar o dia da mesma maneira em que terminará. Gol de Messi, comemoração de Cristiano Ronaldo e segue vivo o sonho de vestir o manto amarelo ao lado de Neymar.

Apesar das individualidades decidindo, o grande sucesso do Vasco neste início de ano foi no coletivo. Levantar a moral individual de cada um é apenas um dos méritos de Jorginho. Transforma-los em um grupo, o passo fundamental para um ano de sucessos.



  • Herich

    Vasco tá bem esse ano, mas precisamos de pelo menos mais um atacante. E Jorginho tem que parar de substituir mal, parar em deixar JH de titular, que não faz nada em campo, Julio dos Santos pelo menos faz alguns passes.

  • Herich

    Vasco tá bem esse ano, mas precisamos de pelo menos mais um atacante. E
    Jorginho tem que parar de substituir mal, parar em deixar JH de titular,
    que não faz nada em campo, Julio dos Santos pelo menos faz alguns
    passes. Tem que colocar mais vezes as pratas da casa.

MaisRecentes

O clássico Evander



Continue Lendo

Evander e Andrés Ríos ganham posições no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

O Vasco e a ‘síndrome da Caverna do Dragão’



Continue Lendo