O adeus de Rodrigo



Rodrigo fez 19 gols em 174 jogos pelo Vasco (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Rodrigo fez 19 gols em 174 jogos pelo Vasco (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Rodrigo chegou ao Vasco, em 2014, após ganhar a Bola de Prata – tradicional prêmio da revista Placar – no Brasileirão 2013, quando atuou pelo Goiás. Em São Januário, assumiu a posição, por vezes a faixa de capitão, e virou referência de liderança dentro do elenco cruz-maltino.

Em muitos jogos, o zagueiro foi fundamental para o time. Em outros, prejudicial. Vida de zagueiro. Comum.

O novo reforço da Ponte Preta, anunciado nesta terça-feira, foi bicampeão estadual, brilhou em clássicos, igualou expressiva marca de Dedé, porém, não conseguiu formar uma dupla sólida e constante ao lado de Luan.

Mesmo após três anos de parceria, oscilavam. Muito por problemas táticos e técnicos da equipe, é bem verdade, mas também por falhas próprias em outros momentos – principalmente na marcação do jogo aéreo.

Rodrigo teve no Vasco o estrelismo que não alcançou em outros times. Isso por si só já poderia ser visto como um erro. Em alguns momentos, obteve isto referendado pelo próprio presidente do clube. Foi demais. Em um certo ponto, o que parecia ser uma simbiose interessante, positiva, pendeu para o parasitismo, algo negativo, danoso.

Erraram na dose.

A questão é que a importância do defensor em campo – e dentro do grupo – cresceu demais para um rendimento que cada vez mais se aproximou do mediano. O status de guardião do clube, de comandante da zaga e símbolo da luta, foi vendido algumas vezes de forma equivocada e exagerada. E não apenas pelo jogador, mas também pela diretoria.

Rodrigo é bom zagueiro, tem qualidade no desarme, sabe marcar gols, mas não é excepcional. Não ao ponto de se tornar essencial. Ainda mais aos 36 anos de idade. Talvez tivesse tido uma passagem mais longa e calma pelo clube se isso fosse senso comum.

E o clube, se usasse o bom senso com calma, não teria caída neste erro comum. Principalmente quando renovou seu vínculo após um clássico, de forma impulsiva.

É uma peça que o Vasco terá que repor, e não será fácil. Há poucos no mercado que possam ser vistos como solução. Entretanto, era um jogador que o clube precisava deixar de lado para trilhar um novo rumo.

A solução que o time precisa, Rodrigo também já não era.

O caminho agora está na renovação, com mais equilíbrio. Com menos excessos, sem ter que lutar por acessos e, talvez, com ao menos um pouco mais de sucesso. É o que se espera.

Rodrigo deixa o Vasco sem ser o herói que talvez tenha tentado ser, ainda que de forma inconsciente e/ou instintiva, mas também sem carregar o peso de vilão que parte da torcida chegou a lhe empregar. Está no meio disso, onde sempre deveria ter estado: entre os mortais.



  • Luciano Silva

    E assim como aconteceu com o guerreiro Guinhazu , o Rodrigo está passando agora , quando a idade chega é crucial , ou o jogador pára , ou fica de enfeite no elenco (como exemplo vemos Juan no mulambo) ou vai para um clube de menor expressão (caso do Rodrigo) . Já era para ter sido dispensado no início do ano , junto com Júlio dos Santos , Marcelo Mattos , Andrezinho e Éder Luis . Agora estamos a 5 dias do começo do Brasileiro e vamos entrar com a zaga reserva e num esquema que foi treinado pouco . Isso que é planejamento do “gênio” do Eurico e pupilo . S.V

    • Gilvan Paulo

      Engraçado, qdo ele ficou comemorando classificação com resultado de 0 a 0 , qdo era p sacanear o Guerrero vcs gostaram, agora ele é ruim…ruim e amador ele sempre foi pq nunca jogou nada nos outros times …
      vcs vices da gama que endeuzaram gora chora

      • Gilvan Paulo

        A série b é o lugar que vai voltar

      • Luciano Silva

        O cara quem deu permissão de entrar no meu comentário . Não falo com gente da laia de vcs não . Fomos até rebaixado no futebol (vcs foram há alguns anos atrás mas sempre roubando é mais gostoso né e não caíram) , mas VCS FRAMENGUISTAS SAO REBAIXADOS NA VIDA difícil que vocês vivem .

    • Fernando

      Vaza mulambo, vai falar asneira lá na pagina do teu flamerda.

  • bruno cerri

    Aposentado, incompetente.
    Vai assistir as decisões pela TV por que a PP não chega em decisões nacionais.

    • Fernando

      Vaza mulambo, tua hora tá chegando.

MaisRecentes

O óbvio e o imprevisível



Continue Lendo

O clássico Evander



Continue Lendo

Evander e Andrés Ríos ganham posições no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo