Lugar de clássico é no Maracanã



Maracanã pode não receber o Clássico dos Milhões (Foto: Alexandro Auler/LANCE!Press)

Maracanã pode não receber o Clássico dos Milhões (Foto: Alexandro Auler/LANCE!Press)

A linha entre ser um brigador, defensor de seus diretos, e um egoísta, egocêntrico, é bem tênue. E devemos ter cuidado para não despencarmos para o lado errado.

Nessa briga entre Vasco e Maracanã – mais Fla e Flu -, o clube tem todo direito em buscar o melhor para si, desde que isso não traga um prejuízo para todos. E quando digo ‘todos’, isso inclui os próprios vascaínos.

Não tenho acesso ao contrato e nem sou advogado para analisar o caso. Se eles lá, que trabalham com isso, ainda não chegaram num consenso, não serei eu a elucidar o caso. Mas opinar eu posso.

É claro e evidente que o futebol brasileiro – o carioca em especial – vive uma crise de personalidade e também de grandeza. Mais do que nunca, passou da hora de pensarmos mais coletivamente e menos no próprio umbigo. E não digo isso apenas para a diretoria vascaína, isso serve para todas.

O problema não está em um clube ou no outro. Está no meio (futebolístico).

No cabo de guerra constante, todos estão enfraquecendo e ninguém tem saído vitorioso. É muita força para pouco resultado.

Acho que o Vasco tem todo o direito – e dever – de postular igualdade com os outros grandes do Rio e do Brasil, seja na divisão de cotas, na negociação de um novo contrato com o patrocinador ou numa simples disputa para que se defina em que lado ficará a torcida. Mas isso vai até o ponto em que começamos a interferir na organização do campeonato e no seu bom desenrolar.

Tá ruim? Tá errado? Têm coisas para serem revistas e renegociadas? Ok, para 2016 senta todo mundo e resolve as arestas. Mas agora, no meio da competição, não.

Lugar de clássico é no Maracanã. Fora, só em casos extremos. E não me parece o caso.

Criar uma confusão às vésperas de um dos principais jogos da competição, é botar mais uma pá de cal no já combalido Estadual. É atirar no próprio pé.

Tirar o Maracanã do circuito, seja ele qual for, é romper com a tradição e descaracterizar ainda mais o Carioca. Logo quando ele mais precisa voltar a ser charmoso e atraente, como sempre foi.

Bom senso não é apenas um movimento de (ex) jogadores, mas sim o trabalho de pensar e agir com sensatez. E é disso que precisamos.

Saudações vascaínas! /+/

FACEBOOK – https://www.facebook.com/BlogDoGarone
TWITTER – https://twitter.com/BlogDoGarone



MaisRecentes

Em fase artilheira, Pikachu já é um dos maiores goleadores do Vasco neste século



Continue Lendo

Maxi López assume a 4ª posição no Troféu Ademir Menezes



Continue Lendo

Entre corpos e almas



Continue Lendo